Quando os ursos polares saem das tocas

Quando o inverno fecha novamente o mar com gelo, os ursos voltam para o reino do Oceano Ártico Foto: Press Photo

Quando o inverno fecha novamente o mar com gelo, os ursos voltam para o reino do Oceano Ártico Foto: Press Photo

Vocês ainda não viram imagens como essas! Hoje a Gazeta Russa leva você à proibida ilha dos ursos polares.

Fotos: Aleksêi Bezrukov

Coberta de neve, a ilha de Vrangel é uma fortaleza para várias espécies de animais e plantas do Ártico. Aqui, debaixo de muitos metros de camadas de neve, nascem pequeninos filhotes, pesando apenas 400 gramas. Indefesos e por enquanto cegos, os filhotes se transformarão no maior predador do planeta: o urso polar.

 ilha de Vrangel

Na ilha está instalada a reserva conhecida como Casa dos Ursos Polares, que foi inaugurada há 162 anos. Além daqueles que trabalham na reserva e na estação meteorológica, a fim de estudar o ecossistema da ilha, não há pessoas vivendo no local. O complexo natural da reserva tornou-se um Patrimônio Mundial Natural da Unesco.

Todo verão a vida dos ursos fica escondida dos olhos humanos pelo impenetrável gelo do Oceano Ártico. À deriva sobre os blocos de gelo, os ursos caçam focas e morsas. No final da primavera, início do verão, os ursos estão celebrando o acasalamento no gelo. Nesse momento, os machos, que buscam uma fêmea, podem ser uma séria ameaça à vida dos filhotes.

Nesse período, os ursos estocam gordura para o inverno. Satisfeitos e felizes, eles dormem muito tempo na praia, nadam no mar e participam frequentemente de brincadeiras, tanto os filhotes quanto os adultos. Os ursos polares são surpreendentemente alegres e tolerantes uns com os outros.

Observar os ursos saindo das tocas é um imenso prazer. Dois ursos de pele macia são expulsos pela mãe. Depois de uma longa hesitação a mãe urso se estica e rola na neve.

Uma fêmea deita ao sol, deixando os pequeninos por conta própria. Os filhotes mamam leite e imediatamente instigam uns aos outros com brincadeiras, se esforçando continuamente para lamber o nariz da mãe. A mãe brinca com eles, respondendo com um movimento preguiçoso das patas ou da cabeça. Eles já pesam cerca de cinco quilos, envoltos em sua pele quente e branca.

Em março, os ursos começam a sair de suas tocas e mostrar o mundo lá fora aos seus filhotes.

Na toca de gelo em forma de ovo, há um corredor estreito através do qual só é possível mover-se com a barriga no chão. A toca pode facilmente acomodar de quatro a cinco adultos. O piso, coberto de gelo, parece polido para brilhar. As paredes e o teto são decorados com arranhões de numerosas patas com garras e pelos brancos congelados na neve.

Os ursos polares são muito curiosos e interessam-se por tudo que é novo e incomum. Eles também não são agressivos em tempo integral. Provavelmente a vida em altas latitudes ensinou esses animais a ter uma tolerância incrível um com o outro, e, em situações de perigo, eles preferem se afastar dos possíveis problemas, fugindo.

"Em uma das faixas da ilha, nós observamos um pequeno grupo de morsas do Oceano Pacífico e uma dúzia de ursos polares", conta o oficial da reserva Vladímir "Quando escureceu, os ursos audaciosos se aproximaram do furgão velho e enferrujado em que vivíamos. Acordamos com a respiração forte de um urso e começamos a bater pedaços de pau com força na parede para desencorajar o interesse do animal pelo interior de nossa velha casa."

Quando o inverno fecha novamente o mar com gelo, os ursos voltam para o reino do Oceano Ártico. Somente as fêmeas grávidas permanecem em terra, esperando o momento em que a encosta da montanha irá se cobrir de neve para, sob as luzes da aurora boreal, dar à luz outra geração de ursos polares.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.