Gorbatchov quer mudanças

Ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbatchov Foto: Reuters

Ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbatchov Foto: Reuters

Ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbatchov propôs um referendo sobre a reforma da Constituição russa e a abolição do autoritarismo. As propostas foram publicadas em um artigo assinado pelo ex-estadista no jornal Nôvaia Gazeta.

De acordo com Gorbatchov, os protestos que ocorreram em diversas cidades da Rússia depois das eleições parlamentares  indicam insatisfação não só com relação à fraude eleitoral, mas também com o governo. Os acontecimentos de dezembro mostraram que a sociedade russa está pronta para defender seus direitos.

“As pessoas querem não apenas a demissão dos indivíduos responsáveis pelas fraudes, mas a mudança de todo o sistema político do país”, completou o primeiro presidente da URSS.

Gorbatchov caraterizou os acontecimentos de dezembro como uma crise política e constitucional, provocada pela relação autoritária do governo sobre o povo.

“Em um Estado democrático, o poder não deve ser privatizado por apenas um partido, ou por um grupo de cúmplices. As autoridades não devem estar acima da sociedade, da lei”, escreveu Gorbatchov.

O autoritarismo foi consagrado no país pela Constituição de 1993, elaborada durante a disputa entre Executivo e Legislativo. As regras básicas do conjunto de leis reconhecem a diversidade política e ideológica e proclamam que o poder deve provir do povo. Ao mesmo tempo, porém, dão ao presidente "poderes praticamente absotulos, ilimitados", de acordo com Gorbatchov.

Para ele, os sistemas político e econômico do país só poderão ser modernizados depois que a Constituição for reformada. O ex-presidente propõe organizar um referendo de uma única pergunta: "Você apoia a execução de reformas políticas e constitucionais que eliminem o autoritarismo e garantam a democracia?"

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.