Investigação de atentado em aeroporto concluída

Foto: TASS

Foto: TASS

Comitê de investigação declara concluída investigação de atentado que matou 37 pessoas e deixou outras 173 feridas no aeroporto Domodêdovo, em Moscou, há exatamente um ano. Com conclusão do comitê, quatro cidadãos da Inguchétia serão acusados e diversos suspeitos continuam foragidos.

Foi declarada concluída a investigação do atentado terrorista que matou 37 pessoas no hall de desembarque do maior aeroporto da Rússia, o Domodedovo, em 24 de janeiro de 2011. Quatro cidadãos da Inguchétia (república independente no sul da Rússia, na região do Cáucaso) foram detidos durante as primeiras semanas após o atentado. Ainda há suspeitos de envolvimento no crime procurados pela polícia.

A declaração de conclusão do comitê de investigação foi publicada pelo órgão um ano depois do atentado. No dia 24 de janeiro de 2011, o homem-bomba Magomed Evlóeiv se auto-detonou com uma bomba no hall de desembarque do aeroporto na capital russa. Como resultado, 37 pessoas morreram e 173 ficaram feridas. O terrorista foi identificado por meio de análises de DNA de amostras de sangue de seus pais.

Segundo os investigadores, Evlóiev era membro de batalhão suicida da organização Imarat Kavkaz, liderada pelo terrorista mais procurado da Rússia, Dóku Umarov.

“Foi Umarov que organizou o atentado”, declarou o porta-voz do comitê de investigação, Vladímir Márkin.

Aslan Biutukaiev e Supian Abdullaiev, comandantes do grupo terrorista, foram responsáveis pela seleção e preparação do suicida. Evlóiev, natural da aldeia de Ali-Yurt, no distrito de Nazran, Inguchétia, estudou contabilidade e havia desaparecido em maio de 2010, de acordo com a família.

Aparentemente, os homens-bomba foram treinados no distrito Sunjénski, na Inguchétia. “Ali, no campo, os terroristas aprendiam manejar explosivos, recebiam instruções militares básicas, e gravavam vídeos de discursos de Dóku Umarov, os mesmos que depois apareceram na internet”, explica Márkin. Ele acrescenta que o grupo tinha acesso a grandes recursos financeiros.

Os responsáveis pelo atentado no aeroporto teriam recebido 500 mil rublos (cerca de R$ 29 mil) para o aluguel de um carro, apartamento e a compra de telefones celulares.

No dia 28 de março de 2011, o acampamento foi desmontado durante uma operação especial, e 17 terroristas foram mortos. Durante a busca, os policiais apreenderam fuzis e metralhadoras, além de 1,5 mil cartuchos, equipamento de rádio, telefones celulares e anotações.

“No total, como resultado das investigações e operações de busca, foram identificados 28 membros da Imarat Kavkaz, que organizou o atentado no aeroporto

Foi declarada concluída a investigação do atentado terrorista que matou 37 pessoas no hall de desembarque do maior aeroporto da Rússia, o Domodedovo, em 24 de janeiro de 2011. Quatro cidadãos da Inguchétia [república independente no sul da Rússia, na região do Cáucaso] foram detidos durante as primeiras semanas após o atentado. Ainda há suspeitos de envolvimento no crime procurados pela polícia.

A declaração de conclusão do comitê de investigação foi publicada pelo órgão um ano depois do atentado. No dia 24 de janeiro de 2011, o homem-bomba Magomed Evlóeiv se auto-detonou com uma bomba no hall de desembarque do aeroporto na capital russa. Como resultado, 37 pessoas morreram e 173 ficaram feridas. O terrorista foi identificado por meio de análises de DNA de amostras de sangue de seus pais.

Segundo os investigadores, Evlóiev era membro de batalhão suicida da organização Imarat Kavkaz, liderada pelo terrorista mais procurado da Rússia, Dóku Umarov.

“Foi Umarov que organizou o atentado”, declarou o porta-voz do comitê de investigação, Vladímir Márkin.

Aslan Biutukaiev e Supian Abdullaiev, comandantes do grupo terrorista, foram responsáveis pela seleção e preparação do suicida. Evlóiev, natural da aldeia de Ali-Yurt, no distrito de Nazran, Inguchétia, estudou contabilidade e havia desaparecido em maio de 2010, de acordo com a família.

Aparentemente, os homens-bomba foram treinados no distrito Sunjénski, na Inguchétia. “Ali, no campo, os terroristas aprendiam manejar explosivos, recebiam instruções militares básicas, e gravavam vídeos de discursos de Dóku Umarov, os mesmos que depois apareceram na internet”, explica Márkin. Ele acrescenta que o grupo tinha acesso a grandes recursos financeiros.

Os responsáveis pelo atentado no aeroporto teriam recebido 500 mil rublos (cerca de R$ 29 mil) para o aluguel de um carro, apartamento e a compra de telefones celulares.

No dia 28 de março de 2011, o acampamento foi desmontado durante uma operação especial, e 17 terroristas foram mortos. Durante a busca, os policiais apreenderam fuzis e metralhadoras, além de 1,5 mil cartuchos, equipamento de rádio, telefones celulares e anotações.

“No total, como resultado das investigações e operações de busca, foram identificados 28 membros da Imarat Kavkaz, que organizou o atentado no aeroporto Domodêdovo", disse o porta-voz do comitê.

Dos 28 suspeitos do atentado, as autoridades prenderam apenas quatro pessoas, 17 morreram durante o ataque e sete ainda são procurados.

Todos os detidos pela explosão no aeroporto Domodêdovo são naturais da Inguchétia: o irmão do suicida, Ahmed Evlóiev, 27, Bashir Jamkhoiev, 18, e os irmãos Islam e Ilez Iandíev, de 21 e 22 anos respectivamente.

“As acusações serão apresentadas em breve, e o processo será levado às 210 vítimas, acusados e defensores”, declarou Márkin.

A lista de suspeitos ainda procurados pela polícia é encabeçada por Dóku Umarov.

", disse o porta-voz do comitê.

Dos 28 suspeitos do atentado, as autoridades prenderam apenas quatro pessoas, 17 morreram durante o ataque e sete ainda são procurados.

Todos os detidos pela explosão no aeroporto Domodêdovo são naturais da Inguchétia: o irmão do suicida, Ahmed Evlóiev, 27, Bashir Jamkhoiev, 18, e os irmãos Islam e Ilez Iandíev, de 21 e 22 anos respectivamente.

“As acusações serão apresentadas em breve, e o processo será levado às 210 vítimas, acusados e defensores”, declarou Márkin.

A lista de suspeitos ainda procurados pela polícia é encabeçada por Dóku Umarov.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.