Câmeras de vigilância para as próximas eleições

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Depois de uma série de protestos contra fraudes ocorridas nas eleições parlamentares de dezembro passado, o primeiro-ministro e candidato à presidência russa Vladímir Pútin mandou instalar sistemas de vigilância para as eleições presidenciais, de 4 de março.

O primeiro a expressar a ideia de equipar as seções eleitorais com webcams foi o escritor Boris Akúnin durante uma manifestação na praça Bolôtnaia. A medida poderia ajudar a evitar a o chamado "carrosel", fraude em que um grupo de pessoas se dirige a diversas seções eleitorais para votar mais de uma vez. 

A proposta foi adotada por Pútin, que prometeu instalar sistemas de vigilância de vídeo em todas as seções eleitorais antes das eleições presidenciais.

Os primeiros lotes de equipamentos já chegaram ao país, provenientes de companhias de Taiwan, da China e da Europa, em sete aviões de carga. Ao todo, serão usados quatro tipos de câmeras e dois de computadores para captação e transmissão dos vídeos. Já os servidores serão russos.

Especialistas controlarão o uso e a instalação de duas câmeras em cada seção eleitoral do país. Uma câmera estará voltada às urnas e ao local de contagem dos votos, e a outra servirá para captar o panorama geral.

Segundo especialistas, o número de acessos aos vídeos na internet superará 1,5 milhões. A duração total do material publicado alcançará não minutos ou horas, mas 246,5 anos. 


Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.