Rússia fecha o rol dos países com o maior nível de segurança cibernética

Foto: TASS

Foto: TASS

A Rússia ocupa a 14ª posição no ranking de maturidade dos países do G-20 em segurança cibernética, após China, Brasil e México. O país não tem sequer um plano nacional de cibersegurança.

A Rússia ocupa a 14ª posição no ranking de maturidade dos países do G-20 em segurança cibernética, após China, Brasil e México. O país não tem sequer um plano nacional de cibersegurança. 

Em uma comparação da vulnerabilidade aos ataques cibernéticos e da capacidade de implantar uma infraestrutura digital crítica necessária a uma economia segura e produtiva feita entre os países do G-20 - com exceção da União Europeia - um estudo divulgado pela revista “The Economist” no site cyberhub.com colocou a Rússia em 14ª posição. 


Os autores do estudo elaboraram o chamado Índice de Poder Cibernético (Cyber ​​Power Index) e classificaram os países em função da soma dos indicadores em quatro categorias: o quadro jurídico-institucional do ciberespaço, o contexto econômico e social, o nível de desenvolvimento da infraestrutura tecnológica e sua aplicação em setores-chave.

Em cada categoria, o indicador foi calculado com base na avaliação de pelo menos  40 índices, entre os quais o envolvimento do Estado no desenvolvimento do ciberespaço, o nível de desenvolvimento de políticas para a segurança cibernética,  o grau de censura, a taxa de penetração da  inovação no setor privado, a abertura comercial, as despesas com TI, a qualidade das tecnologias utilizadas, o nível de desenvolvimento do governo no campo eletrônico e vários outros.

O ranking é liderado pelo Reino Unido, com 76,8 pontos em 100 possíveis. Em segundo e terceiro lugar ficaram os EUA, com  75,4 pontos, e a Austrália, com 71 pontos. O Brasil é o único país emergente a entrar no rol dos dez primeiros e ocupa o décimo lugar. 

 
A Rússia obteve 31,7 pontos e foi colocada pelos pesquisadores britânicos atrás da China e é seguida pela Turquia, África do Sul, Índia, Arábia Saudita e Indonésia, que apresentam um nível de segurança cibernética menor do que a Rússia.

O ranking de países com o maior poder cibernético 

 
A Rússia ocupou a 17ª posição em infraestrutura tecnológica, a 16ª em regulamentação legal e institucional do ciberespaço e a 10ª posição em contexto econômico e social. 

Os autores do estudo consideram fundamental para uma segurança cibernética eficaz a existência de um plano nacional e constatam surpresos que a Rússia, Arábia Saudita, Indonésia e Argentina não têm esse documento. 
Em alguns sub-índices a Rússia mostra um desempenho muito bom, ocupando a segunda posição no índice de penetração da telefonia móvel entre os países do G-20. “Isso evidencia a capacidade dos mercados emergentes de ultrapassar outros países mediante a implantação de uma infraestrutura de tecnologias de informação e comunicação (TIC)”, afirmam os autores do ranking. A Rússia ficou em quarto lugar em nível de educação. 

Nesse contexto, interessa salientar que o Índice de Segurança Cibernética não é o único ranking mundial onde a Rússia demonstra resultados que deixam a desejar. Em uma recente comparação da competitividade dos setores de TI, também realizada pela “The Economist”, a Rússia desceu oito degraus e ficou em 46º lugar, em relação ao resultado atingido há dois anos. No rol dos 138 países mais desenvolvidos quanto ao nível de TI, divulgado em abril de 2011 pelo Fórum Econômico Mundial, a Rússia segue em 77º lugar. Em setembro de 2011, a União Internacional de Telecomunicações publicou seu relatório “Dimensão de uma Sociedade de Informação”, em que colocou a Rússia em 47º lugar .

Além disso, nos últimos anos, a Rússia tem cedido muito suas posições nos rankings de supercomputadores globais.

 

Originalmente publicado no site cnews.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.