Batismo do Senhor é celebrado com mergulhos em lagos congelados

Mesmo com o frio, seguidores da Igreja Ortodoxa mergulham em águas geladas para reafirmar sua fé.

No dia 19 de janeiro, a Igreja Ortodoxa Russa celebra a festa do Batismo do Senhor ou Santa Teofania. Um dos rituais tradicionais da festa é o mergulho em um buraco no gelo em forma de cruz, aberto em um lago ou rio congelado. Esse buraco se chama Jordão e simboliza o rio Jordão. Ali, os crentes fazem o sinal da cruz e dão três mergulhos de cabeça.


Essa época do ano se destaca na Rússia por um frio severo e é chamada de “época de frio da Epifania”. Apesar do frio, acredita-se que seja impossível adoecer depois de tomar banho em água gelada no Dia da Epifania. Pelo contrário, o povo acredita que o banho em água gelada tempera o organismo e fortifica a saúde. “Você pode tomar banho tranquilamente a 40 graus abaixo de zero. Em cinco ou seis minutos, tempo que dura o ritual, nenhum dos órgãos do corpo humano consegue esfriar. Durante o mergulho, entra em ação o processo de redistribuição de sangue no organismo humano, o que é completamente seguro e faz bem à saúde”, assegura Vladímir Grebênkin, presidente da Associação Internacional de Natação Maratona de Inverno. 

Aqueles que têm medo ou por algum motivo não podem dar um mergulho não se sentem constrangidos. Como explicam os sacerdotes, as leis ortodoxas não obrigam todos os crentes a tomar banho em água gelada. “Esse festival é celebrado em primeiro lugar na igreja, durante a Divina Liturgia. O mais importante é comungar e partilhar a alegria desse dia com seus familiares e entes queridos”, diz o arcipreste Gueórgui Róchin, vice-diretor do departamento de relações entre a Igreja e a sociedade do Patriarcado de Moscou.

Este ano, o ministério para as situações de emergência reservou locais para o banho comemorativo do Batismo do Senhor em 40 lagos de Moscou, mandando armar junto a cada buraco cabines aquecidas para a troca de roupa. Em pleno centro de Moscou, na Praça da Revolução, será montada uma grande pia de madeira para o ritual, que deve reunir mais de 60 mil pessoas. Durante toda a festa, serão celebradas missas e rituais de benção da água.

A água benzida nesse dia mantém suas características inalteradas durante todo o ano, até o próximo Dia da Epifania. “Beber todos os dias um pouco de água benta em jejum ajuda a fortalecer forças espirituais e a curar o corpo e a alma”, afirma o padre Gueórgui Róchin.

A Festa do Batismo do Senhor foi criada em homenagem a um evento evangélico, quando São João Batista batizou Jesus Cristo, com 30 anos, nas águas do rio Jordão, recebendo esse privilégio de Deus. Batizado por São João Batista, Jesus Cristo reafirmou sua fidelidade e obediência aos mandamentos de Deus, dando assim um exemplo a todos os crentes e origem ao sacramento do batismo, um dos sete principais da Igreja. O batismo consiste na tripla imersão do crente em água benta, o que simboliza a morte de Cristo. A saída da água representa a ressurreição do Senhor.

Na Igreja Ortodoxa russa, o Batismo do Senhor é também conhecido como Dia da Teofania ou Epifania pois, segundo o Evangelho, a Santíssima Trindade se manifestou durante a ocasião. Do céu veio a voz de Deus (o Pai), o Filho de Deus foi batizado e o Espírito Santo na forma de uma pomba desceu sobre o Filho. Outro nome dado ao Dia da Epifania na Rússia é o Dia do Iluminismo ou Festa das Luzes e emana do costume antigo de batizar, na véspera, as pessoas desejosas de se juntar à Igreja e obter assim a iluminação espiritual.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.