Fobos-Grunt finalmente atinge a Terra e cai próximo ao Brasil

Preparações para o lançamento no espaço da estação interplanetária automática Fobos-Grunt Foto: federalspace.ru

Preparações para o lançamento no espaço da estação interplanetária automática Fobos-Grunt Foto: federalspace.ru

Fonte da agência Ria-Nóvosti confirma queda de sonda não distante do litoral brasileiro e canal Vesti afirma que destruição do equipamento se deu sobre o país.

Uma sonda mal-sucedida que devia a viajar até um satélite de Marte mas ficou presa na órbita terrestre por dois meses caiu na noite do último domingo (15), segundo a agência de notícias Ria-Nóvosti.

De acordo com a agência espacial russa Roscosmos, o equipamento atingiu a Terra das 21h40 até as 22h10 (horário de Moscou; 15h40 a 16h10, no horário de Brasília) em áreas do sul do oceano Pacífico, da América do Sul e do oceano Atlântico.

Parte dos fragmentos caiu 1.250 quilômetros a leste da ilha de Wellington, no Chile, segundo o Ministério da Defesa. Mas, segundo fonte da Ria ligada às operações da espaçonave, fragmentos atingiram também o oceano Atlântico a 49,3 graus de longitude leste e 18,2 graus de latitude sul, não distante do litoral brasileiro.

Leia mais:


- Sonda russa corre o risco de cair na Terra

O canal de notícias russo Vesti afirma que “a destruição do equipamento deu-se em grande parte sobre território brasileiro”.

Até o último instante, ainda era incerto onde exatamente a sonda não tripulada Fobos-Grunt, de 14 toneladas, cairia. Assim, a queda do equipamento com suas 11 toneladas de combustível tóxico pode ter sido um alívio às autoridades da agência espacial russa.

Ainda de acordo com anúncio do Roscosmos, “não houve controle visual ou de qualquer outro gênero sobre a queda”. Não há indícios de que os fragmentos tenham atingido povoações.

Contatada pela Gazeta Russa, a agência não quis se pronunciar sobre o local de queda dos fragmentos.

A espaçonave foi lançada no dia 9 de novembro de 2011 e estava destinada a colher material para pesquisa no satélite do planeta vermelho. Segundo dados da Nasa, a Rússia já falhou em 17 tentativas de estudar Marte de perto desde 1960. O mais recente fracasso antes do Fobos-Grunt se deu quando o país perdeu seu orbitador Marte-96 durante o lançamento em 1996.

O Ministério da Defesa brasileiro afirma que não foram registrados fragmentos em território nacional. "Não houve constatação de que o equipamento tenha caído em território brasileiro, e não houve registro da passagem do material no espaço aéreo nacional", disse à Gazeta Russa o porta-voz do ministério, Roberto Thomaz.

 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.