Mercado russo de jogos on-line desperta interesse de empresas estrangeiras

Foto: Alamy_LegionMedia

Foto: Alamy_LegionMedia

Rússia tem cerca de 40 milhões de jogadores, mas pirataria no setor ainda é problema

O mercado de jogos on-line russo se torna cada vez mais atrativo para as empresas desenvolvedoras estrangeiras de jogos eletrônicos, segundo concluiu um levantamento realizado pela empresa Farbflut Entertainment.

Ultimamente, todas as grandes empresas de desenvolvimento de jogos eletrônicos europeias e asiáticas têm voltado sua atenção para a Rússia como mercado com potencialidades ilimitadas.

“A Rússia, como a Alemanha, é muito focada no mercado de jogos”, disse Peter Varman, diretor da empresa de marketing holandesa NewZoo, especializada na indústria de jogos eletrônicos. “Os usuários russos gostam muito dos jogos eletrônicos, especialmente os chamados F2P (free-to-play). Portanto, para as empresas que trabalham nesse setor, o sucesso está praticamente garantido.”

De acordo com um estudo realizado pela NewZoo, na Rússia, há cerca de 40 milhões de jogadores, dos quais cerca de 25 milhões gastam dinheiro com jogos. Os usuários da Internet somam cerca de 60 milhões, devendo seu número aumentar em breve para 80 milhões. Por isso, espera-se que, nos próximos anos, o mercado de jogos eletrônicos russo venha a crescer em 20 ou até 30%.


Como muitos jogadores não têm condições financeiras para gastar muito dinheiro com jogos ou simplesmente não querem fazê-lo, merecem especial atenção os jogos multiutilizadores F2P, em que o jogador começa a jogar de graça e, aos poucos, é levado a realizar transações pequenas. Os jogadores na Rússia são divididos entre aqueles que não gastam nada com os jogos eletrônicos e aqueles (cerca de 10%) que gastam até US$ 5000 por mês.

Outro motivo para lançar no mercado russo jogos eletrônicos gratuitos é um elevado nível de pirataria no país. Cerca de 72% dos jogadores russos confessaram ter baixado gratuitamente, pelo menos uma vez, jogos eletrônicos da internet. No Brasil, esse índice é de 64%, na França, 37%, nos EUA, 30%, e na Alemanha, 22%.

De acordo com os executivos da Farbflut, Marius Follert e Niels Wildung, jogos que podem ser acessados diretamente dos navegadores de internet rendem mais do que os jogos nas redes sociais. A renda média proporcionada pelos jogos nas redes sociais é de US $ 0,50 por jogador, enquanto grandes projetos de navegadores rendem mensalmente US$ 7 por jogador. Além disso, as empresas desenvolvedoras de jogos para as redes sociais devem dividir 30 a 50% de seu lucro com os proprietários das redes.


Na Rússia, o mercado de jogos on-line é controlado pela Astrum Online Entertainment (do grupo Mail.ru), com uma porção de 70%, e pelos grupos Blizzard Entertainment e Innova Group (20%).

Originalmente publicado no site cnews.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.