Temporada russa de feriado aumenta o orçamento até 11%

Foto: Vladímir Filónov, MT

Foto: Vladímir Filónov, MT

De acordo com uma pesquisa da empresa Deloitte sobre os gastos de Natal e Ano Novo, os orçamentos russos têm sido até agora pouco afetados pela crise. As despesas de Ano Novo aumentaram 11% em média em 2011 e 40% dos consumidores russos antecipam um crescimento no seu poder de compra em 2012.

A pesquisa foi realizada em 18 países, europeus em sua maioria. Constatou-se que seis de dez consumidores europeus acreditam que suas economias estão em recessão e, embora em alguns países, como Grécia, Portugal, Itália, Espanha e França, esse sentimento seja muito mais forte, ele foi relatado em todos os países pesquisados. Mesmo sem esperar um boom na economia tão cedo, os consumidores russos tendem a ser mais otimistas. Eles não acreditam que a crise afetou seu poder de compra: 67% dos entrevistados disseram que seu poder de compra aumentou em 2011 e 40% deles prevêem crescimento em 2012.

Consumidores europeus planejam destinar uma média orçamentária de 587 euros para as festividades deste ano, que é apenas 0,8% menor que a do ano passado. Os entrevistados pretendem economizar nos presentes, enquanto os gastos com as ceias dos feriados, entretenimento e viagens permanecerão estáveis.

A Rússia está entre os países que mostram um crescimento mais acentuado no orçamento do feriado, com 11%, acompanhada de República Tcheca (2,5%), Polônia (4,1%), Alemanha (4,3%), Eslováquia (6,6%), Finlândia (6,8%), Ucrânia (18,3%) e África do Sul (12,4%). Comentando estes resultados, os autores notam, no entanto, que esse panorama geral positivo deve ser considerado em um contexto de excessiva inflação em alguns países.

Em 2011, os consumidores russos planejam gastar em média 17,5 mil rublos (428 euros) nas festividades. Os presentes serão responsáveis por metade do orçamento do feriado (cerca de 10.250 rublos); ceias irão custar aproximadamente 4,6 mil rublos, e recreação e diversão, algo em torno de 2,7 mil rublos.

O presente de Ano Novo mais desejado pelos russos é dinheiro (56% dos entrevistados), seguido por viagem (45%) e computadores/notebooks (42%). Mas, julgando pelos resultados da pesquisa, é mais provável que eles recebam cosméticos e perfumes, presentes que podem ser comprados por preços mais razoáveis.

No entanto, a crise afetou ligeiramente o sentimento dos consumidores russos às vésperas do Ano Novo – eles estão ficando mais "sensíveis" aos preços dos presentes e estão optando por coisas mais úteis e baratas. Apenas 34% dos entrevistados disseram que o preço dos presentes era relativamente sem importância, contra 41% no ano passado. Além disso, a parcela dos consumidores russos preferindo presentes úteis (87%) também foi maior que do ano passado (79%), provando que os consumidores russos estão agora entre os mais racionais na Europa. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.