O que os moscovitas estão comprando e com o que estão sonhando às vésperas das festas de fim de ano

A revista Ogonek perguntou aos moscovitas o que eles estão comprando e com o que sonham às vésperas da passagem de ano

“Estamos sonhando com um bebê”


Arina Nikíchova, 33 anos, gerente de turismo, e Serguêi Tichkin, 36 anos, arquiteto

Normalmente, compramos presentes e enfeites natalinos para nossa casa. Agora mesmo compramos bolas de Natal pintadas à mão. Queremos que elas se conservem por muitos anos, dando sempre alegria a nossos filhos. Não compramos alimentos porque, geralmente, festejamos a passagem de ano com nossos amigos fora de casa.

Estamos sonhando com um bebê no ano que se aproxima. Nem mais nem menos!

“Quero ganhar mais”


Avaz Takhírov, 37 anos, operário


Compro tudo o que minha mulher e meus dois filhos pequenos me pedem. Brinquedos, roupas, tudo o que eles querem, não discuto com eles. Vamos ter em nossa mesa de final de ano doces, bolos, frutas e nada de álcool.

Eu gostaria de ganhar mais, os filhos estão crescendo e pedindo mais e mais. 

“Estamos nos preparando para economizar”


A família Kholchiguin: Iúlia, 38 anos, Víktor, 55 anos, ambos economistas, e sua filha Lera, 12 anos



Costumamos comprar enfeites natalinos, de preferência aqueles que podemos refazer e presentear a nossos amigos. Agora estamos à procura de um leitão para assar para o jantar de fim de ano.

O ano que nasce será muito difícil. Dizemos isso como economistas. Portanto, não estamos sonhando com nada, estamos nos preparando para economizar. 

“Que o ano que se aproxima seja tranquilo”


Tatiána Miakícheva, 38 anos, babá


Compro geralmente alimentos e sempre no último momento. Mas tem que ter cuidado e ver bem as etiquetas. As lojas aproveitam a pressa de final de ano para vender os produtos com prazo de validade vencido.

Quero que o ano que se aproxima seja tranquilo: estou cansada de tremer só de pensar que amanhã posso não ter emprego nem dinheiro. 

“Independência é que é felicidade"


Fedor e Aleksandra Ivanov, 85 e 83 anos, aposentados

 
Compramos pouco para as festas de final de ano. Não precisamos de muito: uma colherada de salada e um pedacinho de peixe e mais nada.

Preferimos não pensar em nada durante a passagem de ano. Apenas agradecemos à sorte por estarmos até agora independentes, podermos fazer as compras sozinhos e escolher onde e como fazer a passagem de ano. E isso é felicidade, não é?

“Eu quero encontrar um trabalho agradável”


Ekaterina Preobragênskaia, 21 anos, aluna universitária


Costumo comprar presentes, principalmente para mim: roupas, sapatos, bolsinhas. Não estou comprando alimentos porque não sei ainda onde vou fazer a passagem de ano.

Sonho com um príncipe em um cavalo branco e um milhão de dólares caindo em minhas mãos! Mas, falando sério, quero encontrar um trabalho agradável e que haja paz em todo o mundo e que as eleições sejam livres e justas. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.