República separatista na Moldávia elege novo presidente

Evguêni Chevchúk Foto: TASS

Evguêni Chevchúk Foto: TASS

Resultado da eleição aumenta chance de reunificação com a Moldávia.

A Transdniestria, república autoproclamada separatista na Moldávia, acaba de eleger um novo presidente. O eleito foi o ex-presidente do parlamento local, Evguêni Chevchúk, considerado pró-Moscou, assim como seu concorrente, Anatóli Kamínski.

Segundo uma fonte da Comissão Eleitoral Central local, o novo presidente é o ex-presidente do parlamento local e líder do movimento Renascença, Evguêni Chevchúk, que venceu o segundo turno da eleição com 73,88% dos votos. Seu concorrente, Anatóli Kamínski, obteve apenas 19,67% dos votos. Os votos depositados contra ambos os candidatos somam 4,45%.


Chevchúk representa o eleitorado de protesto desde que entrou, há vários anos, em conflito com o então presidente da Transdniestria, Ígor Smirnov, razão pela qual foi afastado do cargo de presidente do Parlamento e de líder do partido. Como resultado, a liderança do parlamento e do partido foi assumida  por Kamínski.

O conflito com o presidente Smirnov teve como causa a ajuda humanitária enviada por Moscou à população local atingida pela seca em 2007. Segundo Chevchúk, boa parte da ajuda russa foi desviada.

Agora, o Comitê de Investigação da Procuradoria Geral da Rússia abriu um processo criminal contra Oleg Smirnov, filho de Ígor Smirnov, sob a acusação de apropriação da ajuda financeira proveniente de Moscou.

Embora a Rússia tenha apoiado publicamente o atual presidente do parlamento local, Anatóli Kamínski, concorrente de Chevchuk, o país não tem razões para preocupação.

Transnistria-map

A república de Transdniestria (amarelo no mapa) é um estado não reconhecido no sudeste da Europa. De acordo com a divisão administrativa da Moldávia, a república é uma unidade territorial autônoma da Moldávia, atualmente não controlada pelo governo central

 Chevchúk é considerado como político pró-Moscou, assim como Kamínski. No último verão, ele foi eleito para o bureau político do recém-criado movimento Rússia Internacionalista, que engloba as comunidades russófonas das ex-repúblicas soviéticas.

O Rússia Internacionalista apoiou o apelo de Vladímir Pútin para a criação de uma união euroasiática e se proclamou como aliado da Frente Popular da Rússia criada por Pútin.

A ascensão de Chevchúk à presidência da Transdniestria aumenta as chances de reunificação dessa república separatista com a Moldávia, o que é  defendido por Moscou. O desejo de Moscou de que Tiráspol e Chisinau cheguem a um acordo com base nos princípios da integridade territorial da Moldávia foi reiterado, em novembro passado, pelo chanceler russo, Serguêi Lavrov, durante sua viajem à região.

Por iniciativa de Moscou, no dia 30 de novembro, em Vilna, capital da Lituânia, foram reiniciadas as negociações diretas entre os separatistas e o governo moldávio. Enquanto isso, sociólogos falam de um drástico aumento das tendências pró-russas na Moldávia.

Publicado em versão reduzida. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.