Criatividade e bom humor marcam vídeos institucionais da Rússia

A pedido do presidente Dmítri Medvédev, no âmbito do programa nacional “Ambiente Acessível”, foi lançada uma campanha social sob o lema “As pessoas não se dividem desse jeito”, pedindo respeito aos deficientes. Como início, serão lançados este ano dois vídeos mostrando as mais diversas opções de divisão da sociedade e dizendo que o fator “deficiência” não deve ser determinante nas relações humanas.

As campanhas sociais contra o tabagismo, alcoolismo e AIDS continuam as mais populares entre a população. 

Apresentando uma perfeita simulação computadorizada dos processos operados no organismo dos viciados, esses vídeos publicitários são extremamente instrutivos.

Os vídeos sobre as crianças e com a participação de crianças estão entre aqueles que podem causar lágrimas no espectador e levá-lo a pensar durante pelo menos um par de minutos depois da exibição. No entanto, para muitos, a exploração de cenas com crianças não passa de uma manipulação emocional do espectador.

Um vídeo antitabagismo chamado “Desculpas infantis” é bastante eloquente. É estranho e desconfortável ver crianças com um cigarro na mão.

Certamente, a publicidade social tem como alvo problemas sociais sérios. Ainda assim, alguns vídeos arrancam sorrisos do espectador, como esse vídeo antialcoolismo sobre alucinações causadas pelo consumo excessivo de álcool: “Você bebe? Então estamos indo a sua casa!” 

Mas ninguém pode igualar-se em criatividade aos autores dos vídeos contra o cigarro e tabagismo. O vídeo divertido “Não fumo, parei de fumar!” exorta todos que são capazes de parar de fumar a pronunciar essa frase mágica e a dançar de alegria, o que, na opinião dos autores, é completamente lógico, pois os fumantes não dançam.

Outro vídeo estranho apresenta um grupo de ex-fumantes cantando modinhas. 

Uma obra ainda mais absurda é o vídeo “Colheres Antinicotina”, que mostra que os cigarros podem ser facilmente substituídos por colheres de pau.   

Todavia, o projeto mais divertido contra o cigarro é do ministério da Saúde da Rússia. Chama-se “Cavalo Dolbak (Mete-na-Cabeça)”. O cavalo vive em vídeos e aparece também na vida real: 

É de pelúcia, fala com voz ora feminina ora masculina e anda sobre duas ou quatro patas, pisando e repisando a tese sobre a nocividade do fumo.  Outro projeto, o site Pozovidolbaka.ru, está em vias de construção. Vai oferecer a possibilidade de chamar o Cavalo Dolbak para sua casa ou para seu escritório para persuadir seus amigos e colegas a parar de fumar. Infelizmente, segundo a agência RIA Novosti, em uma hora de passeio do Cavalo Dolbak pela rua, apenas dez pessoas largaram (literalmente) o cigarro.

Um problema à parte é a AIDS. Existe uma série de bons vídeos que não só causam sorriso, mas também fazem crer que é possível evitá-la.

Toda uma série de vídeos exorta às medidas de prevenção. 

Abrir os olhos e sentir a mão amiga é, talvez, o mais importante para aqueles que já sabem sobre sua doença. O HIV não é transmitido através da amizade”. 

Em geral, podemos constatar que a publicidade social russa evoluiu bastante, percorrendo um longo caminho desde as mensagens banais de impacto frontal até obras realmente artísticas e inteligentes. É assim que uma publicidade social de qualidade deve ser.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.