Diretor de revista é demitido após publicar foto com crítica a Pútin

Diretor-geral da editora, Demian Kudriávtsev Foto: Kommersant

Diretor-geral da editora, Demian Kudriávtsev Foto: Kommersant

A revista Kommersant-Vlast demitiu seu diretor após publicar a imagem de uma cédula de votação com palavras obscenas dirigidas a Vladímir Pútin

O multimilionário russo e dono da editora Kommersant - especializada em publicações de negócios - Alicher Usmanov demitiu o diretor-geral da empresa, Andrêi Galíev, e o diretor da revista Kommersant-Vlast (Kommersant-Poder), Maksim Koválski após a publicação de uma foto tirada em uma seção eleitoral em Londres representando uma cédula de voto com palavras obscenas dirigidas ao primeiro-ministro russo, Vladímir Pútin.

Usmanov disse que a publicação da foto é “contrária à ética jornalística” e não excluiu a hipótese de processar Koválski. Até hoje, o dono da editora, que é também acionista minoritário do clube de futebol londrino Arsenal, nunca havia interferido nas atividades editoriais de sua empresa.

A vice-diretora da revista Kommersant-Vlast, Verônica Kutsílo, confirmou que o motivo das demissões foi a publicação da foto e disse não concordar com a decisão de seu patrão, afirmando que a publicação do texto obsceno não passa de uma citação.

Em entrevista ao Slon.ru, o ex-diretor da revista declarou não achar que Alicher Usmánov esteja violando seus compromissos perante o periódico no sentido de não interferir na política editorial da revista.

Após o peisódio, o diretor-geral da editora, Demian Kudriávtsev, pediu demissão por iniciativa própria e fez um pedido de desculpas pela “incompetência profissional” aos leitores e aos parceiros da revista. Seu pedido de demissão deverá ser examinado na próxima assembléia dos acionistas da Kommersant em um prazo de duas semanas. Fontes próximas à editora duvidam que o pedido de demissão de Demian Kudriávtsev seja aceito.

“Durante a elaboração do número 49 da revista Vlast (Poder), foram violados os procedimentos e regulamentos internos da editora Kommersant e as normas do jornalismo profissional e da lei da Federação da Rússia”, escreveu Demian Kudriávtsev em seu blog. “Em minha opinião, o diretor é responsável por tudo o que acontece na editora. A situação gerada pelo lançamento do último número da revista Kommersant-Vlast é inaceitável. Pedi demissão porque me considero responsável por tudo o que aconteceu”, explicou Kudriávtsev à agência Interfax.

A editora Kommersant foi fundada a partir do jornal Kommersant em 1989 e comprada, em 2006, pelo empresário Alicher Usmánov. Hoje, a editora é uma das líveres no setor de mídia da Rússia. Entre suas publicações mais notáveis constam o jornal Kommersant e o Kommersant-Ucrânia, assim como as revistas Vlast (Poder), Dengui (Dinheiro), Ogoniok (Faísca) e Kommersant-UK (Kommersant-Reino Unido), editada em Londres. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.