Detenções inibem oposição na Praça do Triunfo

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Cerca de 300 pessoas foram detidas em protesto contra os resultados das eleições parlamentares realizado na Praça do Triunfo, no centro de Moscou, na noite da última terça-feira (6), segundo a assessoria de imprensa do Ministério do Interior.

Segundo o órgão, a demonstração reuniu 5 mil pessoas. Dessas, apenas 1,5 mil seriam opositores, contra 2 mil ativistas de movimentos juvenis pró-Kremlin, de acordo com dados do jornal Kommersant e do site gazeta.ru.

“Eu estou aqui porque essas eleições foram fraudadas. Esses jovens que apoiam o governo foram comprados”, disse à Gazeta Russa a estudante Ekaterina, 21 anos, que não quis ter o sobrenome revelado.

“Eu estive na segunda também nos protestos da oposição, mas não estou de nenhum dos lados, nem do Rússia Unida, nem de qualquer outro partido. Só sou contra as eleições serem fraudadas. Quero que meu voto valha alguma coisa, e nesse país hoje isso não acontece”, disse à Gazeta Russa a estudante Valentina Vassílieva, 20 anos.

 

Fraudes

Dezenas de vídeos divulgados no YouTube mostram irregularidades nos postos de votação, como o fornecimento de canetas que se apagam para os eleitores, mesários falsificando votos etc.

Com a repercussão do material na internet, na última terça-feira (6), o presidente Dmítri Medvedev levantou dúvidas sobre a veracidade dos vídeos em declaração televisionada.

“Esse material sozinho, na melhor das hipóteses, é para análise, e na pior delas, é provocação”, disse o presidente durante a transmissão.

No último protesto, a detenção em massa da oposição, que organizou o movimento, deixou a praça livre para ativistas de movimentos jovens pró-Kremlin, como os “nashi” (do russo, “nossos”) e os “mestnie” (“locais”).

Entre os detidos, figuravam o ex-vicê-premiê Boris Nemtsov, o opositor Eduard Limonov e o líder do partido liberal Iábloko, Serguêi Mitrókhin.

Segundo resultados preliminares da Comissão Eleitoral da Federação Russa, o Rússia Unida continua, apesar de queda, a liderar os votos, com 49,4%. O Partido Comunista até então detém 19,1%, o Rússia Justa, 13,2%.

Mesmo não chegando a 50% dos votos, o Rússia Unida continua sendo maioria na Duma (parlamento russo), com 238 cadeiras de um total de 450.

Os resultados oficiais das eleições parlamentares só serão divulgados no dia 24 de dezembro.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.