Morreu a única filha de Stálin

Svetlana Alliluieva

Svetlana Alliluieva

A única filha do ditador soviético Josef Stálin, Svetlana Alliluieva, morreu de câncer, aos 85 anos, na cidade de Richland-Center, estado de Wisconsin, nos Estados Unidos. A morte de Svetlana aconteceu em 22 de novembro, mas as autoridades estaduais só informaram o fato seis dias depois.

A única filha de Stalin nasceu a 28 de fevereiro de 1926, em Leningrado. Sua mãe, Nadejda Alliluieva, era a segunda esposa do líder soviético. Quando criança, Svetlana era muito próxima de seu pai, que a chamava de “pequeno pardal”.  Todavia, com o tempo, Svetlana condenou a política de seu pai, chamando-o de “monstro moral e espiritual”, e o sistema soviético, considerando-o muito corrupto.

Svetlana fez um curso de história na Universidade Lomonossov de Moscou e um curso de pós-graduação da Academia de Ciências Sociais junto ao Comitê Central do Partido Comunista da União Soviética (PCUS). Trabalhou como tradutora e editora literária. Emigrou da URSS na década de 60. Viveu na Índia, Suíça e Inglaterra. Ao fim de 20 anos, voltou à URSS, onde viveu por dois anos, após o que emigrou para os EUA. Em 2008, em uma entrevista, Svetlana Alliluieva disse: “Em 40 anos de vida nos EUA, esse país não me deu nada. Nem mesmo aprendi a lidar com meu talão de cheques. Mas é tarde demais para me mudar para um outro país. Vou ficar para morrer aqui, nos Estados Unidos...”.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.