Expansão criará cidade-aeroporto

O aeroporto é o maior da Rússia em número de passageiros, com 51 mil embarques diários. Em abril, atingiu o recorde de decolagem de 425 aviões Foto: Lori

O aeroporto é o maior da Rússia em número de passageiros, com 51 mil embarques diários. Em abril, atingiu o recorde de decolagem de 425 aviões Foto: Lori

Ampliação do principal aeroporto de Moscou irá concorrer com o plano de expansão da cidade para o sudoeste.

A East Line, empresa que administra o único aeroporto privado de Moscou, o Domodêdovo, anunciou no mês passado um ambicioso projeto de desenvolvimento cuja implantação vai durar dez anos e irá, na prática, resultar no surgimento de uma nova cidade na periferia sul da capital russa.

Os planos da East Line – que incluem a construção de uma terceira pista, a reforma do pátio de aviões e a ampliação das instalações do terminal – são baseadas num conceito de desenvolvimento geral no qual a direção do aeroporto começou a trabalhar ainda no fim da década de 1990.

O que é uma Aeropólis?

Os programas de televisão e a literatura de ficção científica da década de 1960 imaginavam as pessoas se deslocando de um lugar a outro em carros voadores e vivendo em cápsulas modulares, mas a ideia de uma “aeropólis”, uma cidade-aeroporto, é um pouco diferente.

Conceito desenvolvido pelo acadêmico norte-americano John Kasarda, aeropólis é definida como uma configuração urbana que tem um aeroporto como seu centro, da mesma forma que uma metrópole tem um núcleo central na cidade.

Assim como uma metrópole, a aeropólis tem trabalhadores que circulam pelo núcleo central, mas não vivem lá. Nos entornos estão as empresas que dependem do centro – neste caso, o aeroporto – para sua subsistência, como hotéis, centros de logística e mercados varejistas.

Esses geralmente provocam engarrafamentos no trânsito, mas uma aeropólis planejada pode aliviar esses problemas por meio da construção adequada de transporte e áreas de zoneamento para determinados negócios.

O presidente do conselho de diretores do aeroporto, Dmítri Kamenchtchik, disse que o Domodêdovo constitui o centro de uma “conurbação sinérgica” de desenvolvimento comercial que poderia se estender a um raio de até 19 quilômetros do próprio aeroporto.

Um projeto de nove anos de duração para modernizar a primeira pista do aeroporto, cuja conclusão está prevista para esse ano, já fez com que o Domodêdovo se tornasse o primeiro aeroporto russo certificado a receber o Airbus A380, e os trabalhos para construção da terceira pista têm início marcado para o primeiro trimestre de 2012.

Também no próximo ano será dado início à reforma do pátio onde as aviões estacionam para carregamento e reabastecimento, numa tentativa de aumentar o número de vagas para aviões. A iniciativa vai demandar o equivalente a US$ 807 milhões, a serem pagos durante um período de cinco anos.

“O grandioso plano tem forte apoio do governo, tanto federal quanto regional”, disse Kamenchtchik durante uma coletiva de imprensa. Entretanto, o presidente do conselho se esquivou de uma pergunta sobre os detalhes da colaboração com o Estado.

A relação do Domodêdovo com as autoridades foi estremecida pela interrupção dos serviços durante as tempestades de neve em dezembro do ano passado e pela constatação de falhas na segurança que permitiram a ocorrência de um atentado suicida em janeiro deste ano.

Em julho, um comitê investigativo disse ter fracassado na tentativa de estabelecer quem realmente é o proprietário do aeroporto.

O comitê afirmou que Kamenchtchik está listado como o proprietário beneficiário de 100% da empresa, mas se recusou a revelar se tinham acontecido quaisquer mudanças de propriedade desde que o aeroporto rescindiu sua proposta de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), em maio.

O Domodêdovo é operado pelo East Line Group, que, por sua vez, é propriedade da FML Limited, empresa registrada na Ilha de Man.

Entretanto, a administração oficial do aeroporto é aparentemente realizada pela DME Limited, companhia listada na tentativa de IPO.

Financiamento

Enquanto os projetos de expansão do aeroporto devem custar US$ 3,9 bilhões, o desenvolvimento financiado pelo setor privado, incluindo o hotel e o terminal de carga, vai exigir uma soma de 
US$ 420,5 milhões.

Linha do tempo

Problemas no aeroporto

4 de dezembro de 2010

O voo 372 da Dagestan Airlines, partindo de Moscou para Makhatchkalá, faz um pouso de emergência no Domodêdovo, derrapando na pista e deixando dois mortos.

25 de dezembro de 2010

Geadas danificam duas linhas de energia em operação no aeroporto Domodêdovo, causando blecaute completo e levando ao cancelamento de voos e a longos atrasos.

24 de janeiro de 2011

Um homem-bomba causa uma explosão no terminal de desembarque internacional, matando 36 pessoas e ferindo mais de 130.

As contribuições do governo federal e regional incluirão um novo acesso para o quarto anel viário e melhorias na conexão ferroviária existente, para que haja trens de 
15 em 15 minutos, e não a cada meia hora, como hoje.

“Juntos, esses recursos nos oferecem dinheiro suficiente para cobrir todos os nossos projetos ao longo dos próximos dez anos,” disse Kamenchtchik.

Ele afirmou que, atualmente, o aeroporto não tem intenção de levantar fundos vendendo suas ações. Kamenchtchik disse aos repórteres que o terreno onde o Domodêdovo realizará a construção é ou estatal ou de propriedade de uma empresa incorporada pelo próprio aeroporto.

“Não há casas residenciais nessa área, então não vejo problema algum relacionado à realocação”, explicou, afastando a possibilidade de ocorrer o mesmo que no aeroporto estatal de Cheremétievo, a norte da capital, onde os planos de construir uma nova pista enfrentaram a oposição de moradores.

Uma nova cidade

Os planos para expandir o Domodêdovo não têm ligação direta com as propostas anteriormente anunciadas de ampliar os limites de Moscou em direção ao sul e ao leste da cidade.

John Kasarda, acadêmico norte-americano que formulou o conceito de aeropólis, calculou que o projeto poderia gerar até um milhão de empregos, mas não forneceu fontes que sustentassem tal estimativa.

O chefe do distrito administrativo do Domodêdovo, Dmítri Gurodetski, disse que o aeroporto já é responsável por cerca de 30 mil empregos na região. Ele ignorou possíveis impactos desfavoráveis à população local e focou em benefícios como empregos, salários e desenvolvimento de negócios.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.