Bandeiras da Segunda Guerra Mundial desfilam pela Praça Vermelha

Foto: AP

Foto: AP

O desfile comemorativo dos 70 anos da parada militar do dia 7 de novembro de 1941 foi inaugurado pelo prefeito de Moscou, Serguêi Sobiánin, mas os principais personagens das comemorações foram os veteranos da Grande Guerra Patriótica, convidados a assistir ao desfile comemorativo. Como no dia 7 de setembro de 1941, ontem em Moscou também fazia frio, sete graus negativos. Não obstante, muitos veteranos de guerra chegaram à Praça Vermelha de uniforme com honras militares e sem sobretudos.

Fotos: AP

Foram exibidas cenas de reconstituição da defesa de Moscou com o  acompanhamento da frase lendária do general Panfilov, comandante da divisão colocada nos subúrbios de Moscou para defender a cidade do ataque inimigo: “A Rússia é grande, mas não temos para onde recuar: por trás de nós está Moscou!”

O desfile começou com uma marcha solene das bandeiras que, no dia 7 de novembro de 1941, foram levadas pelos soldados soviéticos da Praça Vermelha para o campo de batalha logo após o desfile. O desfile militar de hoje teve à frente o veterano de guerra Mark Ivaníkhin, ex-comandante de uma bataria de lança-foguetes lendários, os Katiúcha. Os principais participantes do desfile foram cadetes de escolas militares e alunos escolares.

 Moscou e Samara comemoram os 70 anos da parada militar de 1941


A cidade de Samara (naquela época, Kúibichev) foi a segunda capital da URSS, durante a Segunda Guerra Mundial, sediando o governo e muitos ministérios soviéticos evacuados de Moscou. No dia 7 de novembro de 1941, Samara também teve um desfile militar, cujo 70º aniversário foi celebrado hoje pelos habitantes da cidade. Naturalmente, o principal desfile militar havia sido realizado, na manhã do dia 7 de novemrbo de 1941 em Moscou.

Leia mais:


- “Foi como se lutássemos com um punhal contra um inimigo armado com uma espada”. A entrevista com historiador Aleksêi Issaev

O próprio tempo contribuiu para a realização do evento: caiu a neve que, juntamente com as ações eficazes da defesa antiaérea soviética, impediu a aviação nazista de bombardear a Praça Vermelha. Foram abatidos quase quarenta bombardeiros nazistas, e nenhuma aeronave nazista conseguiu chegar ao coração do país. O desfile durou 25 minutos. Depois, os soldados foram diretamente para o combate.


A cidade de Samara era palco de reserva para o desfile que, por ordem de Stalin, deveria ser realizado de qualquer maneira.

Cerca de sete mil pessoas passaram ontem pela Praça Vermelha de Moscou em comemoração aos 70 anos da parada de 7 de novembro de 1941. Houve também material de guerra da época: os carros de combate T-34, canhões antitanque, caminhões GAZ-A, lendários lança-foguetes Katiúcha, motocicletas e veículos blindados.

Todas as peças de material de guerra que passaram ontem pela Praça Vermelha foram encontradas em locais de combate nos arredores de Moscou e reconstruídos por ativistas de organizações históricas juvenis. Como é tradição, o desfile, que durou uma hora, foi encerrado ao som da marcha “Despedida de uma Eslava”, executada pela banda da guarnição de Moscou.


Originalmente publicado no site  http://kp.ru/

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.