Uma opção clássica para a hora do chá

Por razões desconhecidas, a cidade de Tula se tornou a capital russa do prianik.

Por razões desconhecidas, a cidade de Tula se tornou a capital russa do prianik.

Lori/Legion Media
Foi só no século passado que os bolinhos prianik passaram a ser consumidos como acompanhamento para o chá. Nos tempos antigos, eles eram item indispensável de qualquer ocasião festiva, sendo consumidos em nascimentos, feriados e casamentos.

O prianik é um bolinho de gengibre e mel geralmente servido junto com o chá na Rússia. Os mais simples se parecem com cookies, porém mais grossos e cobertos por glacê branco. Já as opções mais elaboradas, como o famoso prianik da cidade de Tula, a 200 km de Moscou, são como fatias de pão de forma, marcados com prensa de madeira que produz desenhos sobre sua superfície. 
 

Ingredientes:

 

• 1 ½ xícara de farinha;

• ½ xícara de mel;

• ¼ xícara de manteiga;

• 2 colheres de sopa de fermento em pó;

• ¼ colher de sopa de cardamomo, canela e gengibre;

• ½ xícara de geleia de qualquer sabor (consistência grossa);

• ½ xícara de água;

Foi só no século passado que os bolinhos prianik passaram a ser consumidos como acompanhamento para o chá. Nos tempos antigos, eles eram item indispensável de qualquer ocasião festiva, sendo consumidos em nascimentos, feriados e casamentos. Tradicionalmente, os recém-casados levavam um prianik aos pais da noiva dias depois do casamento. A demanda por prianik era tamanha que eles geraram uma nova profissão: o prianichnik era um tipo de artesão respeitado que passava as receitas secretas da família de geração para geração. 
 

Por razões desconhecidas, a cidade de Tula se tornou a capital russa do prianik. Ali, nos séculos 17 e 18, os melhores prianichnik levaram a arte de preparar o prianik ao seu apogeu, criando versões em todos os formatos imagináveis. O famoso museu Túlski Prianik ainda permanece em Tula até os dias de hoje - assim como o museu do samovar, artigo indispensável para o chá russo nos tempos antigos.
Aproveite essa receita clássica de prianik, extraída diretamente dos livros do museu. E não se esqueça da xícara de chá para acompanhá-la!

Modo de preparo:

Calda de açúcar 

Ferva a água e, em seguida, dissolva o açúcar na água fervente. Quando o açúcar estiver completamente dissolvido, retire a panela do fogo.

Massa

Acrescente o mel derretido, a manteiga, o fermento e a canela à massa, sovando o quanto for necessário. Polvilhe a farinha sobre uma superfície plana e, com o auxílio de um rolo, abra a massa com uma espessura de pouco menos que um centímetro. Corte a massa em retângulos. Espalhe uma generosa colher de sopa de geleia sobre um retângulo de massa e depois cubra-o com outro retângulo, selando as bordas para evitar que escorra. Coloque os biscoitos em uma assadeira untada e asse-os por 10 minutos a 175°.

Diminua a temperatura do forno para 160°, e asse-os por mais 5-10 minutos.

Pincele os biscoitos com a calda de açúcar quando já tiverem esfriado.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.