Moscou deve conceder garantias para sediar a Copa do Mundo de 2018

Jérôme Valcke (à dir.) Foto: RIA Nóvosti

Jérôme Valcke (à dir.) Foto: RIA Nóvosti

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, ficou chocado com os congestionamentos de trânsito de Moscou. O anúncio foi feito por ele próprio em uma entrevista coletiva dedicada à primeira reunião do Conselho Fifa – Comitê Organizador Rússia-2018.

“Começamos uma verdadeira parceria com o lado russo”, disse o responsável, citado pelo correspondente do Sportbox.ru, Aleksandr Nazarov.

“Alguns podem dizer que é muito cedo, mas sabemos, pela experiência com os campeonatos anteriores, que a preparação para a Copa do Mundo leva muito tempo. A Rússia precisa fazer um grande trabalho em termos de infraestrutura e necessita desses sete anos. Ao mesmo tempo, estamos satisfeitos com os esforços desenvolvidos pelo governo russo. Agora estamos, certamente, com os olhos postos no Brasil que vai sediar a Copa em 2014, mas continuaremos também trabalhando com a Rússia”, declarou Valcke.

Veja abaixo a entrevista com o secretário-geral da Fifa.

- Que preocupações a Fifa tem com a realização da Copa do Mundo na Rússia?

- Francamente, estamos mais preocupados com o Brasil, pois esse país ainda tem muito trabalho por fazer para a Copa do Mundo. Na Rússia, só estamos começando a trabalhar. Primeiro, deveremos selecionar 11 cidades-sede do campeonato. Estive, por enquanto, só em Saransk e Moscou. A Mordóvia (república federada da Rússia) me pareceu muito interessante. Quanto a Moscou, a situação do trânsito local é muito difícil, é um verdadeiro pesadelo. A Rússia terá muito o que fazer, mas nas Copas do Mundo tudo se repete. Milhares de pessoas virão ao país, devendo a Rússia hospedá-las e lhes garantir a liberdade de locomoção. São necessidades  básicas. Temos seis anos para fazê-lo e sete anos antes da Copa do Mundo.

- Que outras impressões tem de Moscou?

- Esses são meus primeiros dias na Rússia. Serão necessárias semanas ou até meses para podermos ver tudo. É difícil imaginar que a Copa do Mundo não chegue a Moscou ou a São Petersburgo. Mas se essas cidades não nos derem garantias necessárias e não as levarem à prática, elas não serão qualificadas para receber a Copa do Mundo. Exigimos da Rússia o mesmo que exigimos do Brasil e do Qatar. Nessas questões não pode haver compromissos.

- O que acha de incluir a língua russa na relação dos idiomas oficiais da Fifa?

- Deveremos, certamente, adicionar a língua russa em nosso site após 2014, quando boa parte de nossa página na internet será dedicada ao campeonato mundial na Rússia. Já adicionamos o árabe e o chinês. Mas, desde já, nosso site tem um uma seção em russo dedicada à Copa do Mundo na Rússia. Num futuro próximo, vamos traduzir as outras páginas de nosso site.


Originalmente publicado no site  news.sportbox.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.