Interpol encontra brasileira desaparecida na Sibéria

Festa numa aldeia de Velhos Crentes na Sibéria Foto: Geophoto

Festa numa aldeia de Velhos Crentes na Sibéria Foto: Geophoto

Uma brasileira de 23 anos dada como desaparecida foi encontrada pela delegação da Interpol na região de Krasnoiarsk, na Sibéria.

Conforme o relatório do departamento regional do Ministério do Interior da Rússia, a moça foi encontrada no distrito de  Turukhansk, em uma aldeia de seguidores da seita religiosa de Velhos Ritualistas ou Velhos Crentes (uma corrente religiosa cristã de tradição ortodoxa), que fica no meio da floresta siberiana. A moça, que estava sendo procurada por sua mãe, estava lá de forma voluntária e consciente de sua situação.

A brasileira não tinha documentos que comprovassem seu direito de residir no território nacional da Rússia e estava com o visto vencido. A comunidade de seguidores dos ritos não se opôs às ações da polícia russa e da Interpol.  

Segundo o vice-diretor do serviço de imprensa do Departamento do Interior da região de Krasnoiarsk, Vladimir Iúrchenko, a brasileira estava calma, mas escondendo-se das câmaras. Em uma entrevista com a equipe da Interpol, ela deu uma explicação sobre a situação e disse que, apesar da necessidade de ir ao Brasil, ela pretende voltar à Rússia para ficar legalmente na mesma comunidade de crentes.


A brasileira foi levada para a cidade de Krasnoiarsk e ficou hospedada em um hotel local à espera de que as autoridades competentes resolvam as formalidades relacionadas com sua viagem para o Brasil, onde ela é aguardada por sua mãe. As despesas de viagem foram assumidas pela Embaixada do Brasil na Rússia e pelas autoridades russas.

A moça é descendente de uma família de imigrantes russos que foi para a América do Sul durante a Revolução Socialista de 1917 e mudou-se para a região de Turukhansk junto com seu pai e seu irmão, que acabou retornando ao Brasil. Depois de viver por algum tempo com a filha na comunidade de velhos crentes, o pai da moça a abandonou e partiu para o Canadá.

A brasileira viveu quatro anos com os velhos crentes, executando trabalhos domésticos e copiando livros sagrados. Ela era periodicamente visitada por sua mãe, mas, este ano, a ligação foi inesperadamente interrompida. A mãe então se dirigiu à polícia brasileira que, por sua vez, enviou um pedido de busca à delegação da Interpol na região de Krasnoiarsk.


Nota


A igreja dos Velhos Ritualistas ou Velhos Crentes é uma corrente religiosa cristã de tradição ortodoxa, oposta à reforma litúrgica realizada entre 1650 e 1660 com vistas a unificar o Ofício da Igreja Russa com o da Igreja de Constantinopla. A reforma unificadora provocou um cisma na Igreja Ortodoxa Russa. Fugindo da perseguição, os Velhos Crentes se estabeleceram em regiões remotas da Rússia e no exterior. Atualmente, as comunidades de Velhos Crentes existem, além da Rússia, na Bielo-Rússia, Letônia, Lituânia e Estônia, Moldávia, Polônia, Romênia, Bulgária, Ucrânia, Estados Unidos, Canadá e vários países latino-americanos, bem como na Austrália.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.