Relações têm grande potencial

Aleksandr Lukashévitch, porta-voz do ministério russo das Relações Exteriores. Foto: TASS.

Aleksandr Lukashévitch, porta-voz do ministério russo das Relações Exteriores. Foto: TASS.

Aleksandr Lukashévitch, porta-voz do ministério russo dos Negócios Estrangeiros, classifica como relevante o potencial das relações entre a Rússia e o Brasil. O anúncio foi feito em entrevista à agência Ria-Nóvosti durante a próxima visita do chanceler brasileiro, Antônio Patriota, ao país.

Quais são os objetivos da visita do ministro das Relações Exteriores do Brasil a Moscou? Pode citar os principais itens da agenda de próximas negociações?

  

O chanceler Antônio Patriota fará, nos dias 3 e 4 de setembro, uma visita de trabalho à Rússia a convite do ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguêi Lavrov. Essa visita deverá ser um novo passo no fortalecimento da parceria estratégica entre os dois países, em conformidade com o Plano de Ação da Parceria Estratégica assinado em 14 de maio de 2010. O encontro também poderá dar um novo impulso à cooperação russo-brasileira e ao desenvolvimento das relações bilaterais nas áreas econômica, comercial, científica e tecnológica.

Os dois ministros pretendem discutir a definição dos acordos entre os presidentes da Rússia e do Brasil, Dmítri Medvedev e Dilma Rousseff, alcançados na reunião de cúpula dos Brics em 14 de abril, em Sanya. Outros pactos foram debatidos em reuniões da Comissão de Alto Nível de Cooperação Rússia-Brasil – no dia 17 de maio, comandada pelo primeiro-ministro russo Vladímir Pútin e pelo vice-presidente brasileiro Michel Temer – da Comissão Rússia-Brasil de Cooperação Econômica, Comercial, Científica e Tecnológica e da Comissão Política mista.

Os governantes pretendem também trocar opiniões sobre os principais temas da agenda mundial e sobre a colaboração mútua em assuntos como a diplomacia, o primado do direito internacional e o papel central da ONU nos assuntos internacionais, bem como a promoção do desarmamento e o combate aos novos desafios e ameaças. Além disso, será abordada a situação no Oriente Médio, no norte da África e em outras regiões conflagradas; a situação econômica e financeira mundial; e as vias de aprofundamento da cooperação dos dois países na ONU, no Conselho de Segurança, no Conselho de Direitos Humanos e em outros foros especiais.

Os ministros deverão ainda identificar as possibilidades de aprofundamento da cooperação bilateral no âmbito do Brics. Os resultados da III Cúpula do Brics estimulam a Rússia e o Brasil a dar continuidade aos esforços para a consolidação do grupo como um importante mecanismo de diálogo, que desperta cada vez mais a atenção da comunidade internacional.

Deverão ser analisadas ainda as perspectivas dos contatos bilaterais nas áreas cultural e humanitária. Um dos melhores exemplos de cooperação nesta área é a escola de balé do Teatro Bolshoi em Joinville (Santa Catarina) que funciona com sucesso há 11 anos. A Rússia, em contrapartida, possui uma escola de futebol brasileiro. E as partes dispensarão atenção às questões relativas à organização e a realização da Jornada de Cultura Russa no Brasil e da Jornada de Cultura Brasileira na Rússia, que visam contribuir para o fortalecimento da amizade e a aproximação dos dois países e povos.

Como pode ser avaliado o nível geral de cooperação russa com o Brasil? Há bons exemplos no cenário internacional?

O Brasil é o maior parceiro comercial russo na América Latina e, entre todos, está entre os principais. Por essa razão, as negociações em Moscou darão especial atenção ao ajustamento e à implantação de projetos e programas promissores de cooperação em vários setores científicos: o uso do espaço para fins pacíficos, energia nuclear, de petróleo e gás, tecnologia avançada e agricultura. Os países consideram isso importante para a intensificação das relações econômico-comerciais, que implica um esquema de pagamentos recíprocos em moedas nacionais.

A cooperação nos assuntos internacionais – particularmente, no âmbito de organismos internacionais, sobretudo a ONU – tem uma longa tradição. Além das Nações Unidas, os dois países têm mantido uma estreita cooperação no âmbito do G-20, foro global destinado à agenda econômica internacional. Além disso, queremos desenvolver a cooperação bilateral em associações regionais dos países da América Latina e do Caribe como o Mercosul e o Unasul. Em uma palavra, as potencialidades das relações entre a Rússia e o Brasil são muito grandes e é preciso aproveitá-las da melhor forma possível. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.