A América Latina segue rumo a Vladivostok

Foto: Geophoto

Foto: Geophoto

Embaixadores de países latino-americanos visitam a maior cidade do Extremo Oriente russo, sede da cúpula do fórum da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), a ser realizada em 2012.

Como parte dos preparativos para a cúpula do fórum da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), a ser realizada em Vladivostok – capital do Extremo Oriente russo – em 2012, a cidade foi visitada recentemente por embaixadores de sete governos latino-americanos: Guatemala, Colômbia, Nicarágua, Paraguai, Peru, México e Equador.

Durante a viagem, os chefes das missões diplomáticas visitaram os projetos de construção da cúpula promovidos pela APEC, bem como uma série de instituições culturais e educacionais. Após a visita, eles se encontraram na Universidade Estadual da Marinha Nevelskovo com o reitor Serguêi Ogáe, que convidou estudantes latinos para estudar Especialidades Marinhas no campus.

 

Na conversa com o prefeito da cidade, Igor Puchkariev, definiu-se a criação de uma Casa da América Latina em Vladivostok. O local será um centro cultural diversificado, onde funcionará um complexo de exposição permanente, uma escola de línguas e um restaurante. Além disso, foi fechado um acordo com representantes da prefeitura para a realização de um festival de culturas da América Latina na cidade no fim de agosto.


Para Diego José Tobón Echeverri, embaixador extraordinário e plenipotenciário da República da Colômbia na Rússia, a viagem deve garantir bons resultados ao desenvolvimento da cooperação entre as regiões. “Sabíamos que Vladivostok era situada às margens de uma baía lindíssima. Mas, antes, ela era fechada para visitas e tinha foco militar. Agora, vimos que aqui há um enorme potencial. A cúpula trará pessoas interessadas na cidade e que trabalharão não apenas para garantir o mercado interno, mas também para entrar no cenário internacional”.

 

A respeito das perspectivas de cooperação no campo da educação e da ciência, o embaixador da República da Colômbia afirmou que o seu país está particularmente interessado ​​no ensino de especialidades náuticas. “Estamos localizados nos lados opostos de um mesmo oceano. E, ainda nos tempos da União Soviética, os navios russos ocupavam-se da pesca ao largo da costa da Colômbia. Acreditamos que essa prática deve ser restaurada”, garantiu.


Ao ser perguntado se Vladivostok é atraente para os turistas dos países da América Latina, um dos diplomatas respondeu: “Abriram-se voos diretos de Moscou ao México, o que aproxima os países substancialmente. Seria bom se também houvesse voos assim para a cidade. Gostaria que os mexicanos tivessem a oportunidade de viajar até aqui sem muita dificuldade. Tenho certeza que, após a cúpula da APEC, muitas pessoas virão visitá-los. Vladivostok é um lugar maravilhoso!".

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.