LiveJournal ganha importância na Rússia

Foto: Nicolái Korolev

Foto: Nicolái Korolev

Com potencial para ser uma ameaça aos poderosos, o site é hoje um espaço virtual para a socialização e para discussões sérias, como eram as cozinhas na época da União Soviética.

Os últimos acontecimentos com o LiveJournal tem graves implicações para o público russo, porque uma parcela ativa da população local acessa o site www.livejournal.com. É um dos principais veículos independentes da internet e um espaço quase inigualável para o debate público. Nos últimos cinco meses, a página foi duas vezes invadida por hackers – a primeira vez, no início de abril – e parece que o segundo (e prolongado) período de paralisação já fez que muitos blogueiros conhecidos procurassem abrigo em outro lugar. Este é um sinal para todos os internautas de que a blogosfera é um espaço muito sensível, ainda que vital.

O LiveJournal também é um espaço tipicamente russo, com raízes profundas na tradição do país: todas as atividades públicas importantes estão concentradas em um único lugar, assim como eram as cozinhas durante o período soviético. Isso é algo que surpreendeu muitos estudantes de novas mídias. No Ocidente, os blogueiros publicam seus pensamentos em plataformas como blogspot.com ou wordpress.com, enquanto as redes sociais, como Facebook ou Odnoklassniki (espécie de Facebook russo), são apenas ferramentas usadas para bater papo, fazer piadas ou postar fotos dos seus bichos de estimação. Na Rússia, essas duas atividades foram combinadas para criar uma única comunidade de escritores, leitores, fotógrafos, desenhistas, músicos, ativistas públicos e pessoas curiosas que gostam de conversar e debater sobre assuntos diversos.

O Centro Berkman para Internet e Sociedade, da Universidade Harvard, realizou um estudo sobre o discurso público na blogosfera russa, analisando as práticas dos 11 mil blogs mais ativos e atualizados com o idioma local na rede mundial de computadores. Os autores do estudo destacaram que os internautas do país preferem trabalhar em plataformas que combinam os formatos tradicionais dos blogs com as redes sociais. O LiveJournal.com, que possui 30 milhões de diários virtuais, abriga discussões políticas e sociais do tipo que o parlamento e os meios de comunicação convencionais não veem há muito tempo. 

Outro aspecto observado no estudo promovido pela Harvard é que a blogosfera russa não possui um grupo de apoio ativo entre as autoridades – o único suporte que recebem vem das empresas de Relações Públicas pagas por eles. Mesmo assim, isso não impede que os usuários digam verdades e coordenem ações, citando documentos e fontes da internet. Ainda de acordo com o levantamento, os blogs em língua russa são usados não apenas para discutir políticas e criticar o governo, mas também organizar ações políticas e sociais.

Ameaça aos poderosos?


A blogosfera russa não está totalmente protegida do controle das autoridades, mas goza de considerável liberdade. Atualmente, a Rússia está à frente da China, Irã e muitos países do Oriente Médio em termos de liberdade de expressão na internet. Quando a Freedom House (em português, “Casa da Liberdade”) classificou a internet russa como “parcialmente livre” em abril deste ano, muitos blogueiros protestaram, alegando que o espaço onde se pronunciam é extremamente aberto. Os ataques promovidos por hackers no LiveJournal são uma tentativa de encaixar a Runet – nome dado pelos falantes do idioma russo para o conjunto de sites em sua língua –  na descrição que a instituição americana havia proposto.

É possível que uma blogosfera ativa, aos olhos dos políticos influentes, represente um grande problema. Praticamente todas as campanhas públicas significativas dos últimos anos – contra corrupção e o uso não autorizado de faróis azuis nos carros, pela libertação de empresários presos – utilizaram as mídias sociais.

De acordo com a Fundação da Opinião Pública, 40 milhões de pessoas acessam a internet diariamente na Rússia. Considerando esses números e a proximidade das eleições, o desejo de se controlar esse meio se torna cada vez maior. No entanto, mesmo que uma dessas plataformas suma, o ambiente como um todo não irá desaparecer. Afinal, o espaço público da internet russa foi formado pela diversidade de plataformas e poderá se beneficiar dessa variedade.


O artigo foi originalmente publicado no jornal Vedomosti.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.