Bogoliúbovo tem a bênção da Virgem Maria

Território próximo ao encontro dos rios Nerl e Kliazma possui belíssimas construções, entre elas a Igreja da Intercessão, feita a partir de uma colina natural de pedras.

Fotos: William Brumfield

Um dos momentos decisivos na história da Rússia ocorreu no fim do século 12, quando houve a iniciativa de acelerar o desenvolvimento do território de Kiev Rus, no nordeste do país. O principal personagem desta mudança foi Vladímir Monomakh, príncipe de Kiev entre 1113 e 1125 e fundador da cidade de Vladímir, em 1108. Sob sua liderança, a área rapidamente se tornou o principal centro do poder político e econômico da Rússia. Embora muitas das criações da era de ouro medieval tenham sumido ao longo do tempo, uma pequena parte do seu momento de glória sobrevive nas igrejas feitas de pedra branca, feitas na segunda metade do século 12.

O primeiro grande construtor dessas igrejas foi o tempestuoso Andrêi Bogoliúbski, neto de Monomakh e filho de Iúri Dolgoruki, que é considerado o fundador de Moscou. Durante o seu reinado como príncipe de Vladímir-Suzdal (1157-1174), ele transformou Vladímir em um rival para Kiev e lançou diversas construções de grande porte. Sua residência principal ficava em Bogoliúbovo, construída em 1158, que se situava a poucos quilômetros a nordeste de Vladímir e próxima ao encontro dos rios Nerl e Kliazma.

Segundo a lenda, o nome Bogoliúbovo (“amado por Deus”) surgiu de uma visão que Bogoliúbski teve da Virgem Maria. Entre 1158 e 1165, construtores ergueram um conjunto de obras neste lugar, incluindo a Catedral da Natividade da Virgem e um palácio adjacente de pedras brancas, o que era uma raridade na Rússia medieval. Embora o castelo tenha desaparecido há um bom tempo, dois elementos resistiram aos anos: uma passagem que o conectava a uma das pontas da catedral e uma torre de escadas onde ele morreu, no verão de 1174, em razão de ferimentos atribuídos a conspiradores.


Três anos depois, Bogoliúbovo foi saqueada pelo príncipe Gleb de Riazan. A mesma coisa aconteceu em fevereiro de 1238, quando os seus muros foram destruídos durante a invasão mongol. No século 13, um monastério foi construído neste lugar, mas as antigas igrejas e os restos do palácio acabaram se deteriorando.

Ironicamente, a elevação de Bogoliúbski à santidade em 1702 acelerou a destruição de Bogoliúbovo, especialmente no século 18, época em que o complexo do mosteiro sofreu uma grande invasão. Sua perda mais importante foi o colapso, em 1723, da Catedral da Natividade da Virgem, resultante de uma tentativa frustrada de ampliar os vitrais do local. Com uma reconstrução, a igreja manteve alguns dos seus fragmentos originais, que ainda podem ser vistos na fachada e na área interna.

Monumento preservado

 

A única estrutura que resistiu ao tempo em Bogoliubovo, mantendo características semelhantes à sua forma original, é a bela Igreja da Intercessão da Virgem Maria, localizada a poucos metros do monastério, sobre o rio Nerl. Construída em 1166, em comemoração à vitória de Bogoliúbski sobre os búlgaros do Volga, a igreja é dedicada a uma milagrosa aparição da mãe de Jesus que ocorreu no início do século 12. Para o construtor, esse acontecimento teria sido extremamente significativo por simbolizar a proteção divina ao lugar.


Os construtores escolheram uma área pouco provável, sujeita a inundações, por estar próxima à confluência dos rios Kliazma e Nerl. No entanto, transformaram os problemas do local em uma vantagem ao criar uma colina artificial de pedras, que não somente protegia a igreja da alta das águas e servia de suporte para os muros que sustentavam sua base como também funcionava como um pedestal pra a própria igreja, refletida no rio Nerl. 

    
A Igreja da Intercessão parece ter sido originalmente apoiada sobre uma galeria que acabou sendo demolida, mas as proporções da estrutura principal são atipicamente precisas e refinadas. A estrutura foi erguida em dois níveis: o pavimento inferior de paredes grossas culmina em arcos pintados e há um nível superior, rebaixado, nas três baías de cada parede.


O aspecto vertical é reforçado pela superfície rebaixada das paredes, que criam um efeito de encurtamento por estarem ligeiramente reclinadas para dentro. As partes superiores da fachada de pedras brancas apresentam várias imagens esculpidas, incluindo uma notável representação do rei David – o governador consagrado por Deus – e o rosto de vinte donzelas em alto relevo.


Embora não se tenha conhecimento algum sobre os responsáveis pela construção dessa estrutura, algumas evidências sugerem a participação de mão-de-obra proveniente da Europa central. Fato é que, independentemente de sua origem, essas pessoas criaram um testemunho duradouro da gloriosa arquitetura medieval russa.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.