Saiba onde pedalar em Moscou

Fotos:ITAR-TASS(2)

Fotos:ITAR-TASS(2)

Parques oferecem excelentes alternativas aos ciclistas da capital russa, que não encontram boas condições para o esporte nas ruas e avenidas.

Em todo o mundo, a bicicleta é uma alternativa habitual ao automóvel e ao transporte público, especialmente em grandes cidades. Em Paris ou Amsterdã, é normal utilizá-la para se chegar a uma reunião de negócios, por exemplo. Para moscovitas, no entanto, isso é uma coisa rara. De fato, a cidade é um território inóspito: as ruas são cheias de carros, enquanto quase não existem locais destinados a quem gosta de pedalar. Mesmo assim, as vendas de “magrelas” nas lojas locais de esporte cresceram bastante. Então, onde os moradores da capital russa praticam ciclismo?


No centro de Moscou, por exemplo, onde não há ciclovias, são raros os ciclistas. A maioria dos poucos que existem é de trabalhadores, de coletes cor de laranja, que não podem comprar automóveis tampouco têm condições de gastar dinheiro com ônibus, táxi ou metrô. Eles utilizam velhas bicicletas das marcas soviéticas Kama e Saliut.

Os demais são praticantes amadores desse esporte apenas quando o tráfego de automóveis é bloqueado na região, não mais que duas ou três vezes por ano. O maior fluxo de bicicletas nas ruas da cidade ocorre na sexta-feira à noite. Entretanto, os ciclistas não andam nas estradas, mas sim no campo, no meio do mato.

 
A “magrela” ainda é um meio de transporte valorizado e com direitos em Moscou, mas ainda assim é possível utilizá-las nas poucas áreas destinadas ao ciclismo. Nelas, além de praticar esporte, dá para ver coisas interessantes.  A seguir, estão alguns dos itinerários preferidos dos amantes do pedal que vivem na capital da Rússia.

Colinas Vorobiôvi

A maior parte dos turistas conhece o parque Colinas Vorobiôvi por causa do seu miradouro, conhecido como a melhor vista panorâmica em Moscou. O local abriga ainda o edifício principal da Universidade Estatal de Moscou, um dos oito “arranha-céus stalinistas” da capital.


O parque tem ladeiras íngremes e declives suaves. Entre a estação de metrô homônima e o complexo desportivo Multisport, ao longo do cais Lujnetskaia, foi construída uma ciclovia de 2,5 km de comprimento, com marcações e cobertura especial.


Parque Górki (Parque Central da Cultura e Descanso) – Neskútchni Sad


Apesar de seus grandes espaços e alamedas asfaltadas, é difícil praticar ciclismo no parque Górki. Maior parque de diversões de Moscou, o local costuma receber muita gente, especialmente crianças. Junto a ele, situa-se o Neskutchni Sad, parque mais antigo da cidade, surgido no século 18. Hoje, o local parece-se mais com uma floresta selvagem: as árvores não estão cuidadas; as estufas de pedra, destruídas; e o lago, coberto de lentilhas d’água. Apesar disso, é um dos lugares de passeio prediletos dos moscovitas.


O Neskútchni Sad está localizado ao longo do cais Puchkinskaia. O local tem uma ciclovia que passa pela Casa dos Caçadores – pertencente à fazenda dos príncipes Trubetskôi – e chega à praça Gagárin, próxima à estação de metrô Lêninski Prospekt.


Pokrovskoe-Strechniôvo


Esse é mais um parque de Moscou dono de uma rica história, que tem como testemunhas pinheiros de duzentos anos e lagos cobertos de lentilhas d’água. No centro do local, está a antiga fazenda Pokrovskoe-Streshniôvo, outrora pertencente à família Strechniôvi, parentes da dinastia dos czares Romanov.  


A fazenda possui numerosas veredas, convenientes para tranquilos passeios de bicicleta, e zonas de ciclismo extremo, com barrancos e trampolins. O Pokrovskoe-Strechniôvo está situado no noroeste de Moscou, perto das estações de metrô Voikovskaia e Schiukinskaia.

 
Colinas Krilátskie


A região de Krilátskoie fica na parte ocidental de Moscou e é uma das mais puras zonas da capital sob o ponto de vista ecológico. Está ali o parque Colinas Krilátskie, com superfície de 200 hectares, oficialmente reconhecido como um monumento natural.


O lugar possui um relevo único – a altura de algumas colinas atinge os 70 metros! – além de numerosos barrancos e declives tortuosos que atraem principalmente os amadores do perigoso free ride. Aqueles que preferem um estilo mais tranquilo podem utilizar a ciclovia, de 13 quilômetros de comprimento e construída para os Jogos Olímpicos de 1980.


No que diz respeito aos monumentos históricos, vale a pena visitar a Igreja da Natividade da Virgem de Santa Maria, construída no fim do século 19, e a fonte próxima a ela.


Parque Sokôlniki


Uma larga alameda conduz da estação de metrô Sokôlniki ao parque, que tem o mesmo nome. Nos seus matagais, entre os séculos 14 e 16, czares e príncipes russos dedicavam-se à falcoaria, que deu nome ao local – em russo, sókol é um falcão.


O parque tem uma série de pitorescas alamedas e veredas em redor de lagos. Em sua parte setentrional, faz vizinhança com o parque nacional Lossini Ôstrov (Ilha de Alces) – por isso, frequentemente, não é raro que os ciclistas veem alces enquanto pedalam.

Informações:

 

Em uma pesquisa com mil habitantes economicamente ativos da capital russa, feita pelo centro de estudos do portal de recrutamento SuperJob.ru, verificou-se que quase a metade dos moscovitas (43%) é favorável ao uso da bicicleta não só para passeios nos fins-de-semana, mas também como meio de transporte.


Em Londres, o comprimento total das ciclovias é de 900 km; em Paris, de mais de 400 km; em Moscou, de aproximadamente 18 km; em São Petersburgo, de 26 km.


Neste ano, mais de quatro mil pessoas participaram na quinta edição do Velonoite, evento anual de bike ride noturno em Moscou.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.