Roberto Carlos, o futuro presidente do Anji Makhatchkalá

Foto: Maksim Poliakov/Kommersant

Foto: Maksim Poliakov/Kommersant

Na última semana, o lateral-esquerdo Roberto Carlos, principal estrela do time russo de futebol Anji Makhatchkalá, deu uma declaração polêmica. Ele afirmou que, quando terminar o seu contrato como jogador, será o presidente do clube.

No futebol, é difícil distinguir boatos da realidade. Durante muito tempo, ninguém acreditou que Roberto Carlos chegasse a Makhatchkalá, mas ele assinou contrato. Hoje em dia, o Anji é fonte de muitas informações não confirmadas. Diz-se, por exemplo, que o clube pretende pagar 50 milhões de euros (mais de R$ 111 milhões de reais) pelo jovem meia brasileiro Paulo Henrique Ganso, do Santos. A assessoria de imprensa do clube não tem tempo para publicar todos os desmentidos necessários em seu site.

Mesmo assim, a declaração de Roberto Carlos sobre a possibilidade de assumir a presidência do clube de Makhatchkalá não é fofoca, pois foi ele mesmo quem disse isso, em entrevista à televisão russa – até aqueles que não falam português puderam compreender o teor da sua declaração.

O jogador também se referiu ao futuro do atual presidente do Anji. “Suleiman Kerimov terá o cargo de presidente e eu vou cumprir as obrigações dele. Foi esse o acordo quer fizemos antes da minha chegada à Rússia. Tenho confiança de que consigo criar uma equipe muito boa, evidentemente reforçada por brasileiros”, afirmou.

Esse tipo de declaração não é feita sem motivo. Então, pelo jeito, Roberto Carlos está falando sério. Inclusive, para aproximar o brasileiro do povo russo, ensinaram-lhe a dança típica lezguinka. E o instrutor não foi qualquer pessoa, mas Mukhamednur Sultanov, membro do grupo Lezguinka Che. Na brincadeira, o provável futuro presidente de Anji aprendeu rapidamente os movimentos e dançou com animação.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.