Dormir é o meu hobby

Foto: Max Rossi/Reuters

Foto: Max Rossi/Reuters

Antes de cair na rodada final em Wimbledon, Maria Sharápova compartilhou suas expectativas em relação ao jogo e lembrou vitória em 2004, no mesmo torneio

“Não faço nenhum treinamento especial, apenas durmo mais. Eu adoro dormir. É o meu hobby”, contou a tenista Maria Sharápova, descrevendo a maneira como se prepara antes de entrar mais uma vez nas quadras em Wimbledon. As coisas mudaram para a tenista russa desde a sua primeira aparição no torneio inglês, em 2004, quando tinha 17 anos de idade e derrotou a americana Serena Williams.

“Agora estou mais velha e madura. Pelo menos, é o que espero”, disse Sharápova. “Com o tempo, a gente cresce e aprende muitas coisas novas, se desenvolve não só profissionalmente, mas também como pessoa. Passei por muitas coisas durante minha carreira”, prossegue. “Depois de 2004, fiquei extremamente cansada. Só queria ir pra casa. É claro que espero chegar às principais finais todos os anos, mas isso não acontece sempre. E só cheguei à final de novo neste ano. Não vou gastar meu tempo pensando por que isso aconteceu. Simplesmente ocorreu”, afirmou.

“Quando me machuquei e fiquei com tempo livre de sobra, procurei coisas para fazer. Ainda assim, não sou o tipo de pessoa que gosta de apenas se sentar na praia. Posso levar uma vida assim por, no máximo, dois dias; depois disso, me torno insuportavelmente chata”, explicou a tenista. “Gosto de fazer negócios, inventar alguma coisa, colocar projetos em prática. Tive tempo de avaliar tudo o que conquistei, mas não fiquei remoendo o passado. Sempre estou focada no futuro. Passei esse tempo todo imaginando como seria voltar às quadras.”

Sharápova também está certa de que o tênis não é a única coisa que ocupa o seu tempo: agora, ela está noiva do jogador de basquete Sasha Vujacic, do New Jersey Nets. “É óbvio que o tênis ainda tem grande importância na minha vida, mas o meu envolvimento no esporte não será eterno. É ótimo ter alguém ao meu lado com quem possa dividir a vida. Há muitas coisas que gostaria de experimentar”, assegurou.

Sobre possíveis planos de se casar, Sharápova informou à imprensa oficial de Wimbledon: “Não escolhemos a data ainda. E, mesmo se isso tivesse acontecido, dificilmente passaria essa informação para vocês”.  Sorte no amor, azar no jogo: Sharápova perdeu a final de Wimbledon, no dia 2 de julho, para a tcheca Petra Kvitova por dois sets a zero (6/3 e 6/4).

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.