Mikhail Prôkhorov dirigirá Causa Direita

Prôkhorov, o conhecido empresário russo, ganhou a missão de conduzir o Právoie Delo, novo partido liberal da Rússia/Foto:Photoxpress

Prôkhorov, o conhecido empresário russo, ganhou a missão de conduzir o Právoie Delo, novo partido liberal da Rússia/Foto:Photoxpress

Empresário aceita desafio de comandar novo partido liberal da Rússia, apontado como possível legenda da candidatura de Dmítri Medvedev à presidência do país

O novo presidente do partido liberal Causa Direita será o empresário russo conhecido Mikhail Prôkhorov. De acordo com Leonid Gôzman, vice-presidente da legenda, a decisão foi resultado de longas negociações e significa que, em suas palavras, “o monopólio do (partido) Rússia Unida acabou”. Outro vice-presidente, também chefe da organização Rússia Empresarial, Boris Titov prevê que, com a resolução, o partido conquistará mais de 10% das cadeiras da Duma (Câmara dos Deputados na Rússia) nas próximas eleições.

No momento, nem Prôkhorov nem os líderes atuais do partido estão dispostos a afirmar que a Causa Direita será plataforma para a candidatura de Dmítri Medvedev, hipótese que circula nos corredores da política russa. “O partido não possui relações com nenhum dos líderes do governo, embora tenha consciência de que a Rússia precisa ter um partido liberal”, garante Titov.


As notícias vão ao encontro de uma matéria publicada no Kommersant em 25 de abril, que revelou a proposta recebida por Prôkhorov para encabeçar a Causa Direita. Algumas semanas depois, ele declarou que estava disposto a tomar a frente do partido. Segundo Gôzman, o conselho político do partido se reunirá em breve para fixar a data do seu congresso, já que somente este órgão pode eleger seu líder e alterar a sua estrutura administrativa. O vice-presidente se negou a revelar quem conduziu as negociações, mas fontes indicam que o responsável teria sido Aleksandr Volóchin, ex-chefe da administração presidencial, Valentín e Tatiana Iumatchovi.

Prôkhorov sempre foi cogitado para a liderança da Causa Direita, embora também se tenha falado, no mês de março, das candidaturas de Alekséi Kúdrin, ministro das Finanças, e de Igor Chuválov, vice-premiê russo. No fim de abril, quando ele havia se negado a aceitar o convite, parecia que a Causa Direita ficaria sem novos líderes. No entanto, em 12 de maio, após reuniões com o primeiro-ministro Vladímir Pútin dedicadas à criação da Frente Popular Nacional da Rússia (ONF), Aleksandr Chôkhin, presidente da União Russa de Industriais e Empresários (RSPP), voltou a levantar a questão.

“Se a Causa Direita se institucionalizar como um partido, com um líder de verdade, não devemos excluir a possibilidade de que alguns membros do RSPP apoiem esse partido, ainda que sejam iniciativas particulares”, declarou Chôkhin. Dessa forma, ele indicou que o projeto da nova legenda não havia desaparecido – pelo contrário, demonstrava força para seguir em frente.

Na opinião de Gôzman, não foi surpresa que Mikhail Prôkhorov tenha aceitado encabeçar o partido: “As negociações vêm sendo realizadas há muito tempo. É uma nova fase na vida do país”, afirmou ele, para quem a criação da legenda significou o fim da falta de liberdade. “As pessoas agora entendem a mensagem de que é possível ingressar em outras siglas sem ser castigado ou preso”, explicou. O vice-presidente garante que o objetivo não era simplesmente buscar um novo líder, mas sim reconstruir o sistema político na Rússia. “Precisamos ter um partido liberal ativo. E a gente tem feito isso há quatro anos.”

Alterações

No futuro próximo, a Causa Direita irá mudar sua estrutura. E nem todos que participam do partido desde o início serão úteis na ofensiva que está sendo programada para a conquista da confiança dos eleitores. Ou seja, é possível que seus integrantes se unam a pessoas que não fizeram parte de sua composição anteriormente e outros que deixaram a sigla venham a retornar.

Quando soube da chegada de Prôkhorov, Titov estava em Abrau-Diurso para comandar uma reunião do conselho de especialistas do Rússia Empresarial com a meta de elaborar a Estratégia 2020. Pouco tempo antes, os dois haviam se reunido para tratar do futuro do partido e de sua posição na organização interna. “Estou muito contente que ele tenha concordado”, declarou. De acordo com o vice-presidente, todos os integrantes do Rússia Empresarial que formam parte da Causa Direita votaram no novo presidente. “Os empresários se identificam bem com ele, que tem veia industrial e é um inovador”, completou.

Em razão de uma briga com Gôzman, ele não tem participado ultimamente dos trabalhos do partido e se nega a revelar se voltará a ser integrante ativo da organização. “É possível que surja um conflito de interesses por causa do Rússia Empresarial, já que esta associação mantém relações com outras estruturas políticas: também somos membros da Frente Popular Nacional da Rússia, criada por Vladímir Pútin”, explicou. Ele proporá uma alternativa à Estratégia 2020 – com o título convencional de “Plano Diurso” – tanto para a Causa Direita como para o ONF, já que se trata de uma plataforma ideológica “que poderia unir a direita à esquerda”.

O vice-presidente do Alfa-Bank, Vladímir Sênin, que é integrante do conselho político da Causa Direita em Moscou, destacou que o ingresso de Prôkhorov vai invariavelmente melhorar a situação do partido. Também ressaltou que nunca havia ouvido falar que a decisão tenha sido tomada para solucionar os problemas de Medvedev.


Gôzman não quis antecipar o resultado que o partido obterá com seu novo líder nas eleições para a Duma Estatal, mas deu a entender que a intenção é conseguir uma boa participação. Titov destaca a “brilhante” personalidade de Prôkhorov, considerando-a “altamente reconhecível” e capaz de levar o partido a ocupar mais de 10% das cadeiras na Câmara dos Deputados russa.

Por sua vez, Boris Nemtsov, um dos líderes do recém-criado Partido da Liberdade Popular, declarou que “as possibilidades da Causa Direita entrar na Duma são mínimas” e que, se o Prôkhorov o fizer, “terá conseguido um milagre”. “Além disso, o fortalecimento do partido está na contramão dos interesses de Pútin, que lutará para atingi-los”, afirmou. Ele descreveu o fato de o empresário ter aceitado se juntar ao partido como um grande erro pessoal. “Por ser um homem de negócios, ele está atado dos pés à cabeça”, completou.

  
Perguntado a respeito de uma possível postulação de Medvedev à presidência pelo novo partido, Gôzman declarou que esse seria um passo a ser dado mais adiante. Nemtsov, por sua vez, apontou a existência de um conflito direto entre ele e o primeiro-ministro russo. “É evidente que o presidente irá enfraquecer Pútin falando das maravilhas do capitalismo popular. E não se exclui a possibilidade de que, em breve, ele anuncie para imprensa que vai concorrer às eleições”, disse. Sênin também acredita que a Causa Direita poderá ser a base de apoio político para essa candidatura.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.