Exportação de cereais será liberada na Rússia

Foto:Kommersant

Foto:Kommersant

Em vigor desde agosto do ano passado, embargo será cancelado pelo primeiro-ministro Vladímir Pútin.

"A partir de 1º de julho, vamos desembargar a exportação dos cereais", declarou Vladímir Pútin, primeiro-ministro russo, durante encontro com o primeiro-vice Víktor Zubkov. A interdição está em vigor desde agosto de 2010.

“Temos o objetivo de trabalhar e assegurar de maneira mais firme, como nos últimos anos, o funcionamento do Ministério da Agricultura e de outros departamentos e instituições financeiras. Queremos apoiar os nossos produtores agrícolas no difícil período do plantio, que ainda está sendo realizado em algumas regiões, e especialmente na época da colheita”, disse Pútin.

Em suas palavras, “é necessário acompanhar esse setor da economia da maneira mais próxima possível. Devemos apoiar os nossos produtores agrícolas com todos os meios que dispomos”. “O desembargo dos cereais representa uma dessas medidas e visa ajudar os produtores agrícolas que são capazes de exportar”, declarou o primeiro-ministro à agência ITAR-TASS.

Zubkov comunicou que, atualmente, cerca de 10 milhões de hectares de cereais estão sendo plantados nas terras da Rússia, superando em 10% o índice do ano passado. "Nesse ano, apesar da primavera ter chegado de 10 a 12 dias mais tarde, os trabalhos estão indo bem", salientou.

De acordo com o vice-primeiro-ministro, "as medidas tomadas pelo governo para prover as empresas agrícolas de combustível, sementes e fertilizantes deram resultado. Apesar de a primavera ter demorado a chegar, hoje o ritmo da produção está mais alto do que no ano passado".

"No inverno, o estado dos cereais é aceitável. Temos certeza de que neste ano a colheita não será má", completou.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.