PayPal planeja entrada no mercado russo e mira a CEI

Cartões não são disseminados no país, o que gera demanda por outras formas de pagamento/Foto:PHOTOXPRESS

Cartões não são disseminados no país, o que gera demanda por outras formas de pagamento/Foto:PHOTOXPRESS

Sem medo da corrupção, que afastou outras empresas do setor, empresa está de olho em um mercado cujas vendas cresceram 40% apenas em 2010.

O sistema de pagamento para comércioeletrônico PayPal está planejando sua entrada na Rússia em um momento no qual a modalidade começa a decolar.

Só em 2010, as vendas on-line cresceram 40% no país, segundo o diretor da Associação Russa de Comunicações Eletrônicas, Serguei Plugotarenko, e espera-se que esse volume aumente em 17% neste ano, chegando a 245 bilhões de rublos (R$ 14,2 bilhões).

A Rússia possui um dos mercados de internet que mais rapidamente cresce no mundo, e o número de compradores registrou um aumento expressivo nos últimos três anos.

“A quantidade de pessoas conectadas à internet dobra a cada 18 meses e, no fim de 2010, atingiu a marca dos 57 milhões de usuários no país”, afirma Plugotarenko.  

Na Sibéria tem, sim

As conexões de banda larga crescem cerca de 3% ao mês e a penetração atingiu 29,7% em dezembro, segundo relatório da AC&M-Consulting.

A maioria dos novos acessos é de regiões mais remotas da Rússia, onde os moradores geralmente veem a internet como uma ferramenta educacional e uma forma de mostrar o mundo a seus filhos.

O número de usuários na Sibéria cresceu 4,3% somente em dezembro, ultrapassando os índices de Moscou.

O crescimento das vendas online, entretanto, tem avanço lento, já que ainda é muito difícil pagar por produtos e serviços.

“A baixa penetração de cartões de crédito faz com que seja difícil receber dos clientes, mesmo quando eles estão dispostos a pagar por alguma coisa”, afirma o proprietário da livraria virtual Bookmate.ru, Simon Dunlop.

“Em algumas empresas russas como Yandex.Dengi e WebMoney, embora seja possível fazer pagamentos on-line, é necessário antes inserir créditos na conta por meio de transferência bancária. A única maneira de fazer compras instantâneas é usando o serviço de mensagem de texto [SMS], o que as torna extremamente caras”, completa.   

Por esse método, o cliente envia um SMS para um número especial com o pedido e a cobrança é descontada do saldo do aparelho. No entanto, as empresas de telefonia cobram até 40% do valor da compra pelo serviço, segundo Dunlop.

Assim, menos de 25% dos usuários de internet na Rússia fizeram compras pela internet em 2010, de acordo com Plugotarenko.

Paralelamente, a renda total gerada pelos anúncios virtuais aumentou 40% no ano passado, passando para 26,7 bilhões de rublos (cerca de R$1,5 bilhão).

Mercado a vista

Com esse cenário, o PayPal teria tomado a “decisão estratégica” de entrar no mercado virtual russo, de acordo com o periódico de negócios russo RBC.

A empresa norte-americana estaria apenas aguardando a aprovação de leis referentes ao sistema de pagamento nacional para abrir seu escritório no próximo ano.

A iniciativa do PayPal vai na contramão de outras empresas virtuais norte-americanas como a CompuServe, que em 1998 cortou acesso para a Rússia alegando que muitos hackers haviam criado contas falsas ou usado números de cartões de créditos roubados ou falsificados, acumulando enormes encargos sobre os serviços.

O PayPal está mais confiante em relação ao potencial do mercado e já está em negociações com os provedores de internet locais e empresas de telefonia celular.

“Em linhas gerais, a empresa não está interessada somente na Rússia, mas na CEI (Comunidade dos Estados Independentes) como um todo”, descreve o RBC.

Em 2009, os principais sistemas de pagamento on-line no país, Yandex.Dengi e WebMoney, foram responsáveis por 90% das transações no mercado virtual russo, segundo a Associação de Dinheiro Eletrônico. Portanto, o PayPal terá que enfrentar uma concorrência já estabelecida.

A WebMoney foi fundada em 1998 e registrada em Belize, país da América Central onde seu proprietário e administrador vive. Originalmente programada para atender clientes russos, a empresa vem crescendo rapidamente e hoje afirma ter mais de 14 milhões de usuários pelo mundo todo.


Números

40

porcento foi o aumento das vendas on-line russas no ano passado. Espera-se que o número cresça 17% esse ano

1,5

bilhão de reais foi a renda total gerada por anúncios virtuais na Rússia, um aumento de 40% em relação a 2009

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.