Brasil terá "invasão" de helicópteros russos

Foto:Vostock_photo

Foto:Vostock_photo

Russian Helicopters firma acordos com empresários brasileiros em feira de artigos aéreos e militares.

A Russian Helicopters foi um dos destaques da participação russa na 8ª Latin America Aero & Defence LAAD 2011, a maior feira sobre o tema na América Latina. A holding russa para o setor, parte da UIC Oboronprom, assinou uma série de contratos com parceiros brasileiros durante a feira , de 12 a 15 de Abril, no Riocentro, o centro de convenções próximo aos locais previstos da Olímpiada de 2016.



O Acordo de Cooperação prevê o fornecimento de 150 helicópteros leves Mi-34C1 até 2023. Os representantes da Qualy avaliam que os modelos leves Mi-34C1 podem ser interessantes para as empresas comerciais e operadores estatais, incluindo as participantes dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 no Brasil.



Criada em 2007 pela fusão das principais empresas do setor no país, a Russian Helicopters é um dos poucos conglomerados no planeta a unir design, fabricação, manutenção, assistência técnica e testes para helicópteros civis e militares, com sete fábricas e dois escritórios de design. Animado com as perspectivas de encomendas da Petrobras e de empresas privadas de serviços e transporte aéreo de carga, o chefe de Marketing da Russian Helicopters, Roman Kirillov, destacou a Defesa Civil, a Segurança Pública e o apoio à exploração de petróleo como segmentos mais promissores para novas encomendas no Brasil.



A Russian Helicopters é uma das líderes no design e na fabricação de helicópteros no mundo, uma das Top 3 ao lado da Sikorski e da Eurocopter. Cerca de 13% da frota mundial deste tipo de veículo é russa, e portanto saiu das fábricas de uma de nossas controladas, mesmo que antes da fusão. Com a consolidação, iniciada em 2004 e concluída com a entrada da Rostvertol, o grupo uniu forças, e ganhou agilidade na adaptação dos produtos às necessidades dos clientes, de acordo com Kirillov.



“Modelos nossos estão em missão do Ministério de Emergências da Rússia no resgate de desabrigados pelo terremoto seguido de tsunami no Japão, para citar um exemplo bem atual. Também estão presentes nas missões militares da OTAN no Afeganistão, nas ações humanitárias da ONU em países africanos, no combate a incêndios florestais no Canadá e, claro, na Rússia, em diversos organismos de Defesa Civil”, exemplifica Kirillov.



Os dados preliminares de 2010 indicam a venda de 214 helicópteros pela Russian Helicopters, 31 a mais que no ano anterior. Essa expansão é de mais que o dobro da registrada em 2009, que tinha sido de 8%. “Nossa experiência de design e a variedade de nossa carteira de aeronaves, presente em mais de 100 países, ajuda a explicar esse rápido crescimento”, argumenta o executivo.



Em parceria com a Atlas, o grupo russo venceu a licitação para veículos de apoio à exploração de petróleo, com o modelo MI 171 – A 1. Um helicóptero foi entregue, e mais dois estão a caminho.



“Com capacidade para pouso e decolagem de emergência na água, e tanques adicionais, nossos veículos tem condições de enfrentar as mais duras provas do pré-sal, em que a distäncia da costa impõe maior autonomia de vôo,” explica Kirillov.



A empresa fornece modelos MI 35 M para a Aeronáutica brasileira, e KA 11 BC para a Helipark. As perspectivas são de ampliar esse escopo no Brasil, com o acordo de cooperação com o Qualy Group como primeiro passo. “Podemos ir além, e não apenas com esses modelos, pois temos cargueiros capazes de erguer 20 toneladas (um recorde mundial), especialmente úteis em construções de usinas em áreas distantes dos grandes centros. Temos modelos de combate ao fogo, de monitoramento e vigilância em áreas isoladas, particularmente adequados ao uso na Floresta Amazônica, e veículos mais leves, para uso esportivo e transporte de executivos, o MI 34 C1, que em dois ou três anos esperamos ver nos céus brasileiros”, concluiu Kirillov.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.