Brasil não confirma adiamento na aquisição de MI-35M

Mi-35M/Divulgação

Mi-35M/Divulgação

A imprensa tem divulgado um possível adiamento de compra de novos helicópteros russos Mi-35M pela FAB (Força Aérea Brasileira). O contrato para a aquisição de helicópteros Mi-35M foi assinado em 2008 depois de uma concorrência em que também participou o italiano A-129, da Augusta Westland.

O Ministério da Defesa Brasileiro, entretanto, não confirma a informação. "Ainda não é possível precisar que projetos e ações das Forças Armadas serão afetados pelo corte de R$ 4,3 bilhões no orçamento da Defesa", afirma a assessora do ministério, Roberta Belyse.

Na LAAD 2011 (Latin America Aero Defence 2011), entretanto, o ministro da Defesa Nelson Jobim teria declarado prioridade a apenas um projeto de compra de helicópteros para o reaparelhamento das Forças Armadas, o qual contemplaria a aquisição de 50 aeronaves EC 725 Super.

Em abril de 2010, a FAB completou o recebimento de 12 MI-35M, no valor de US$ 363,9 milhões. As aeronaves foram rebatizadas de AH-2 Sabre e incorporados ao 8º esquadrão de Porto Velho. A principal função do primeiro helicóptero de ataque do país seria o apoio ao avião de assalto A-29 Super Tucano na guerra contra o narcotráfico em florestas brasileiras. Um novo lote de 6 aeronaves deveria chegar ao Brasil até o final de 2011. Mas com o corte no orçamento militar, os MI-35M podem ficar de fora dos planos brasileiros.

“A área responsável pelo orçamento no ministério realiza, neste momento, um estudo a partir das informações enviadas pela Forças”, explicou Belyse. “Após essa análise, a área técnica encaminhará as informações relativas ao orçamento ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, que definirá as prioridades e a forma como se dará a alocação dos cortes nos projetos e ações na pasta”, completa.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.