Sôtchi é incluída no calendário da Fórmula 1

Primeiro piloto russo na F1, o estreante Vitali Petrov não teve bons resultados, mas atraiu patrocínios de empresas do país/Foto: Getty Images/Fotobank

Primeiro piloto russo na F1, o estreante Vitali Petrov não teve bons resultados, mas atraiu patrocínios de empresas do país/Foto: Getty Images/Fotobank

Com a decisão, a cidade do sul da Rússia que será palco das Olímpiadas de Inverno 2014 e da Copa 2018, também passa a receber a Fórmula 1 de 2014 a 2020.

A cidade de Sôtchi vai sediar o Grande Prêmio de Fórmula 1 da Rússia entre 2014 e 2020, segundo acordo anunciado pelo primeiro-ministro Vladímir Pútin. A primeira corrida ainda pode ser postergada caso atrapalhe os preparativos para as Olimpíadas de Inverno de 2014, informou o vice de Pútin, Dmítri Kosak.

Insert some text here

A Rússia foi o último país a ser incluído no calendário da Fórmula 1, que terá o número recorde de 20 corridas planejadas para o próximo ano. A competição vai estrear na Índia em 2011 e o retorno para os Estados Unidos, com um Grande Prêmio em Austin, no Texas, está agendado para 2012.

“Não vamos cancelar nada. Serão 20 corridas – e estamos nos preparando para 25”, disse em abril o diretor-geral da administração do evento, Bernard Ecclestone, bem antes da divulgação oficial do calendário 2011 da Fórmula 1.

Em julho, ele anunciou que uma prova da Fórmula 1 na Rússia era mais importante do que em qualquer dos outros locais candidatos.

O primeiro piloto russo da F1, Vitali Petrov, foi escalado para a equipe Renault. O principal piloto da equipe em 2011, entretanto, ainda não foi confirmado. A atuação de Petrov deixou a desejar, mas atraiu diversos patrocinadores russos para a equipe – entre eles, a Lada, fábrica de automóveis que tem a Renault entre seus proprietários.

Ecclestone declarou ao diário Kommersant que a Rússia pagaria cerca de US$ 40 milhões por ano para sediar um Grande Prêmio. Construir um autódromo, entretanto, poderia custar US$ 200 milhões ao país, segundo o jornal.

Entre os patrocinadores do Grande Prêmio de Sôtchi estarão as empresas LUKoil, Basic Element, MegaFon e Russian Technologies. Segundo o governador de Krasnodar, região à qual pertence  a cidade de Sôtchi, a construção do circuito de corrida vai custar em torno de US$ 100 milhões.

Com as novas vias construídas para as Olimpíadas em cerca de metade do circuito planejado, o governo vai poder economizar nos preparativos para a Fórmula 1, afirmou Tkatchiov. De acordo com ele, a Tilke, empresa de engenharia e arquitetura sediada em Aachen, na Alemanha, vai projetar o circuito, e uma licitação para sua construção será aberta em abril do ano que vem.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.