Do Rio a Moscou, sem escalas

Turista vai economizar pelo menos quatro horas de viagem com o novo trajeto/ Foto: Vostock-photo

Turista vai economizar pelo menos quatro horas de viagem com o novo trajeto/ Foto: Vostock-photo

Com novo itinerário e isenção bilateral de vistos para turistas, operadoras russas esperam aumento do fluxo para o Brasil em 2011.

A partir do dia 3 de janeiro, a companhia aérea Transaero deve iniciar voos diretos Moscou-Rio de Janeiro e Rio de Janeiro-Moscou. Segundo o diretor de relações públicas da empresa, Serguei Bikhal, a companhia já foi autorizada a realizar o itinerário com saídas pelos dois países e só precisa definir o dia da semana em que os voos sairão: a segunda-feira é o mais cotado, mas futuramente poderá haver decolagens também às sextas-feiras. Os voos serão operados em aviões Boeing-747 e durarão 12 horas e meia.

Cerca de 7 mil turistas russos visitam o Brasil todos os anos, tendo a opção de escolher entre 14 companhias aéreas que oferecem opções de conexão na Europa, nos Estados Unidos e no Oriente Médio. A duração mínima do voo de São Paulo a Moscou é hoje, em média, de 16 horas mais o tempo de escala.

“Os voos diretos reduzirão o custo do turismo russo para o Brasil”, afirmou o vice-diretor do portal Newstour.ru Serguei Agafonov.

Destino brasileiro

O fim da exigência de vistos para turistas brasileiros na Rússia e vice-versa, em vigor desde junho, ainda não alterou significativamente as estatísticas no setor. Os brasileiros não tiveram tempo para se preparar para o verão da Rússia, entre junho e agosto. Os russos, por sua vez, costumam viajar nesse período pelo Hemisfério Norte - ou seja, é no inverno que os russos se interessam pelos países do sul.

Agora, com os voos diretos, os operadores de turismo esperam reduzir os custos dos pacotes de duas semanas para o Brasil para até US$ 2 mil, o que aumentará as chances do País contra rotas já tradicionais para os russos, como Egito, Turquia e cidades litorâneas da Ásia e Oceania.

“O preço será equivalente ao de pacotes de mesma duração para a Europa ou até mesmo de uma semana num hotel caro da Turquia”, afirma a assessora da companhia turística TEZ Tour Marina Makarova. “As estatísticas mostram que o principal interesse dos nossos turistas está no Rio de Janeiro. Planejamos também a organização de viagens para Salvador e Recife. Além disso, vamos desenvolver viagens para destinos como Foz do Iguaçu, Amazonas e idas a jogos de futebol” , conclui.

A expectativa das operadoras locais quanto ao aumento do fluxo turístico do Brasil para a Rússia, entretanto, é baixa. Segundo a diretora-executiva da Associação das Operadoras de Turismo da Rússia, Maia Lomidze, pode-se esperar um aumento significativo no número de turistas brasileiros no país só dentro de dois ou três anos. “Como o voo é muito longo, os pacotes seriam de pelo menos duas semanas. Dá para ver muita coisa nesse tempo, mas os estrangeiros só conhecem duas cidades russas: Moscou e São Petersburgo”, explica.

Mesmo assim, a abertura de novas possibilidades é promissora. Segundo diversas operadoras de turismo, a América Latina é um dos principais destinos de turistas provenientes da Rússia. Além disso, a política de isenção bilateral de vistos de turismo já está em funcionamento entre a Rússia e três países da América do Sul: Brasil, Argentina e Venezuela. Em breve, a medida deve ser adotada para o Chile, o Uruguai e o Panamá.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.