10 apps gratuitos para visitar museus sem sair de casa

Além de informações e passeios virtuais, usuários têm acesso a audioguias.

 

1. Museu do Arsenal do Kremlin (Moscou)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

O aplicativo do Museu do Arsenal funciona tanto em russo como em inglês e oferece uma série de artigos históricos de diferentes épocas, não só sobre as armas, mas também sobre as roupas dos tsares, carruagens elegantes e outros objetos guardados no tesouro imperial.

E não deixe de fazer nosso quiz sobre o Kremlin de Moscou.

2. Museu Judaico e Centro da Tolerância (Moscou)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Esse museu, instalado em uma obra-prima da arquitetura moderna dos anos 2920, foi inaugurado em 2012. É hoje um dos museus mais modernos e frequentados pelos moradores de Moscou. Oferece exposições permanentes, bem como palestras e master classes em uma variedade de temas. O aplicativo está disponível em inglês e russo.

3. Novo Museu do Impressionismo Russo

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Esse museu abriu as portas em 2016 em uma antiga fábrica de doces bolchevique. Abriga uma grande coleção que vai desde desenhos e pinturas de Aleksandr Benois e pinturas de Boris Kustódiev a obras diversas de artistas modernos e conceituais.

O app (em inglês e russo) traz várias informações sobre artes plásticas e design.

4. Kunstkamera (São Petersburgo)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Kunstkamera, criado por Pedro, o Grande, foi o primeiro museu público da Rússia. Segundo a lenda, o tsar teria visto uma árvore estranha com tronco duplo nas margens do rio Neva, em São Petersburgo, e ordenou que um museu fosse construído naquele local para exibir objetos estranhos. Desde então, a árvore permanece no museu, e a coleção inclui fetos com duas cabeças e fenômenos da natureza preservados em formol. Além dessa coleção, o Kunstkamera é também um museu étnico que mostra a evolução das vestes tradicionais e a história de várias nações do mundo.

O aplicativo está disponível em inglês e russo.

5. Palácio Iusupov (São Petersburgo)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Esse palácio em São Petersburgo, na margem do rio Moika, foi palco do assassinato de Grigóri Raspútin, mago e confidente da última imperatriz russa.

Reza a lenda que o jovem príncipe Féliks Iusupov e seus amigos envenenaram Raspútin com cianeto de potássio. Mas o feiticeiro havia se imunizado tomando uma pequena dose de cianeto todos os dias havia muitos anos. Por isso, o veneno não funcionou. Foi então que eles teriam tentado atirar nele, mas ainda assim o monge não morreu. O último recurso foi prendê-lo com correntes e atirá-lo no rio.

Há uma seção no palácio que recria os acontecimentos daquele dia. Apesar da tragédia, o palácio esbanja interiores impressionantes. Pelo aplicativo, é possível acessar um guia com áudio em espanhol, inglês, chinês, francês, alemão e russo.

6. Museu Hermitage (São Petersburgo)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Esse museu dispensa apresentações, porque é o maior e mais famoso do país. Para evitar as enormes filas, é recomendável comprar os ingressos com antecedência pela internet. O aplicativo oferece audioguia em inglês e russo, e é possível selecionar entre uma noção geral do museu e tours temáticos por suas salas.

7. Centro Presidencial Boris Iéltsin (Iekaterinburgo)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Esse novo museu multimídia fica localizado em Iekaterinburgo, o berço do primeiro presidente da Rússia, Boris Iéltsin. Por meio do aplicativo, que também funciona como um audioguia, é possível percorrer as salas do Centro e ouvir as memórias dos participantes de eventos históricos nos quais o museu se concentra: perestroika e os turbulentos anos 1990. Por enquanto, o app só está disponível em inglês e russo.

8. Galeria Tretyakov (Moscou)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

A Galeria Tretyakov tem a maior coleção de arte russa e possui vários aplicativos.

Há também dois jogos: “Paisagens. Kit de Construção da Galeria de Arte Tretyakov”, onde se pode construir sua própria paisagem com base nas pinturas do artista Fiódor Matveev; e “Natureza morta. Kit de Construção da Galeria de Arte Tretyakov”, também com base no pintor, mas voltado para natureza morta.

O app tradicional oferece audioguia em inglês.

9. Museu Púchkin de Bellas Artes (Moscou)

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

Esse museu de arte exibe originais e cópias de obras de arte de valor mundial, desde antigo Egito e Grécia a artistas impressionistas e contemporâneos. Sua app, porém, é dedicado à arte italiana entre os séculos 8 e 20 e só está disponível em inglês.

Outra coisa vale a pena testar são os passeios virtuais ativados por smartphone no próprio site do Museu Púchkin. Com óculos 3D, ficam ainda mais emocionantes.

10. Realidade aumentada

(Imagem: Divulgação)(Imagem: Divulgação)

O Ministério da Cultura da Rússia lançou um novo aplicativo chamado Artefact este ano, pelo qual é possível passear por 12 museus e locais históricos do país e ver pinturas de artistas famosos com outros olhos. Ao posicionar a câmera do smartphone em uma exposição, o aplicativo mostra fragmentos perdidos, assim como o estado de algumas obras antes da restauração. Disponível, por enquanto, apenas em inglês.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.