Baikal esquenta temporada no inverno siberiano

Grutas de gelo, passeios de jipe ou patinação no gelo e pesca no gelo – estas são só algumas das alternativas que fazem uma viagem ao Baikal no inverno valer a pena.

Embora proporcione paisagem única, estação atrai menos turistas Foto: Lori/Legion-MediaEmbora proporcione paisagem única, estação atrai menos turistas Foto: Lori/Legion-Media

O inverno é, provavelmente, a melhor época do ano para visitar e descobrir os detalhes do lago Baikal. Isto é sobretudo verdade em fevereiro e março, quando a superfície do lago congelas e as temperaturas permanecem abaixo de zero, enquanto o ar está seco e o céu, surpreendentemente ensolarado.

A melhor parte de visitar a região no inverno é também que, ao contrário do verão, é possível desfrutar da tranquilidade no local sem multidões de turistas ao redor.

Beleza pura

Azul escuro, com “manchas de tinta” e intercalado com inúmeras ​​bolhas de ar cujas cores vão desde o azul cintilante ao branco extremo – assim é o Baikal congelado. Seja qual for sua cor, ela é extraordinariamente pura e transparente como uma janela recém-polida. Esse espetáculo dura de final de janeiro até o final de abril.

O gelo do Baikal, cuja espessura pode chegar a 1,5 metros, não tem, porém, superfície uniforme. Há também enormes blocos de gelo que podem atingir 12 metros de altura e assemelham-se a cristais de rocha; as chamadas ‘sokui’, que são esculturas naturais de gelo formadas em penhascos e em rochas em torno do lago; e também fendas de gelo, que podem atingir de 10 a 30 km de comprimento e até três metros de largura (quando estão se formando, o lago emite um estrondoso barulho de trinca).

Esculturas de gelo no Baikal podem atingir mais de 12 metros Foto: Lori/Legion-MediaEsculturas de gelo no Baikal podem atingir mais de 12 metros Foto: Lori/Legion-Media

De um modo geral, o Baikal no inverno é semelhante a um animal pré-histórico que adormeceu, porém, de vez em quando, suspira, produzindo sons incomuns. É possível até tentar domesticá-lo, mas, ainda assim, é melhor ter cuidado

Rotas sobre o gelo

No inverno é possível viajar em torno de Baikal de várias maneiras, mas o mais comum é fazer passeios de carro. Além do conforto e segurança, os carros permitem que os turistas acessem diversas áreas do lago e admirem as rochas e grutas de gelo.

Os melhores lugares para curtir o visual estão na ilha de Olkhon, no pequeno estreito do mar e nas margens. No entanto, os moradores locais e viajantes experientes não aconselham que aventureiros de primeira viagem levem ou aluguem carro próprio para passear sobre a deslizante superfície congelada.

Superfície não uniforme apresenta risco para iniciantes sem guia Foto: Lori/Legion-MediaSuperfície não uniforme apresenta risco para iniciantes sem guia Foto: Lori/Legion-Media

No lado de Irkutsk, por exemplo, há somente uma rota liberada pelo ministério local da Defesa Civil e para Situações de Emergência que conduz à ilha de Olkhon. Todas os demais trajetos são considerados perigosos devido a rachaduras e colunas de gelo.

A maneira mais segura e confiável é organizar a viagem com uma agência especializada (incluindo pesca, passeio de trenó de cão e sauna russa) ou alugar um carro com um motorista-guia experiente.

O Baikal no inverno é também uma excelente pista de gelo natural, com superfície escorregadia e uniforme (não em todos os pontos!). Para patinação no gelo e outros esportes de inverno, incluindo passeios de quadriciclo, esqui ou pesca no gelo, os turistas costumam ir a Listvyanka, onde o gelo é aplainado ao longo da costa.

Agências locais preparam terreno gelado para receber turistas Foto: Lori/Legion-MediaAgências locais preparam terreno gelado para receber turistas Foto: Lori/Legion-Media

Além disso, muitas bases de turismo também criam pistas de gelo para as famílias em suas seções ao longo da costa do Baikal.

Adepta de viagens desafiadoras, Danila Korjonov já percorreu mais de 400 km ao longo da superfície do lago Isso, porém, requer não só formação profissional, mas também experiência e boa dose de ousadia.

Vista de Baikal pela tela

Mesmo que neste inverno não seja possível descobrir o lendário lago siberiano que dorme sob o gelo,  dá para fazer uma visita virtual pelo “Lago Baikal no Inverno”:

Esta excursão inclui 23 panorâmicas esféricas de alta definição do Baikal tiradas a partir de drones da AirPiano, um projeto sem fins lucrativos executado por uma equipe de fotógrafos russo e criado com o apoio da Sociedade Geográfica Russa.

Sem sair de frente do computador, é possível visitar as paisagens aéreas dos promontórios de Khoby e Budun, na ilha de Olkhon e no Estreito de Portão de Olkhon, da ilha de Ogoy com sua estupa budista (monumento construído sobre os restos mortais), do pôr do sol do Baikal na vila de Bolshie Koty e das teias de gelo sobre sua superfície. No entanto, mesmo fotógrafos mais profissionais e o maior ângulo de observação não podem ser comparados a uma visita de verdade ao Baikal.

Como chegar lá

A visita ao Baikal começa tradicionalmente em Irkutsk, que pode ser acessada de trem, por meio da ferrovia Transiberiana, ou avião. Há diversos voos diários de e para Moscou, e serviços menos frequentes com conexão direta a São Petersburgo, Vladivostok, Novosibirsk e outras grandes cidades.

Em grande parte dos casos é provavelmente melhor programar uma viagem ao Baikal congelado com a ajuda de uma agência de turismo. Os preços variam dependendo da dificuldade da rota e das atividades incluídas. Por exemplo, uma viagem de carro de dois dias com um guia na ilha de Olkhon pode custar de US$ 155 a US$ 185; uma semana em uma ilha pode custar até US$ 385. Os passeios semanais mais complexos, que incluem também snowmobiles e trenós com cães, começam a partir de US$ 770.

Os moradores locais recomendam as seguintes empresas: http://www.baikal-adventure.com/, http://www.baikal.travel/, http://vokrug-baikala.ru/, http://baikalov.ru/ e http://www.baikalvisa.ru/. Todas oferecem passeios de inverno com diferentes preços e níveis de dificuldade.

Voos mais frequentes para região partem de Moscou, mas há outras opções Foto: Lori/Legion-MediaVoos mais frequentes para região partem de Moscou, mas há outras opções Foto: Lori/Legion-Media

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.