Moscou vista de bonde

A melhor maneira de passear por Moscou é mesmo de bonde Foto: PhotoXPress

A melhor maneira de passear por Moscou é mesmo de bonde Foto: PhotoXPress

Cosmopolitas, estudiosos da natureza humana e amantes de aventuras apreciarão uma viagem nos bondes de Moscou. A Gazeta Russa selecionou as três melhores linhas do centro da capital russa.

Moscou não tem centro histórico no sentido tradicional, como, por exemplo, Praga, Viena, Riga e muitas outras cidades europeias. O aspeto arquitetônico do coração da capital resultou de várias camadas, como as de uma cebola, sofrendo transformações na era soviética. Só nas décadas de 70 e 80, muitas travessas históricas e mansões do século 19 deram lugar a largas avenidas ladeadas de prédios altos parecidos uns com os outros.

Mesmo assim, há três razões, pelo menos, para uma viagem de bonde através de Moscou. 

1. Abrigo do frio 

A melhor maneira de passear por Moscou é mesmo de bonde. A velocidade do veículo permite dar atenção aos pormenores da cidade, sem risco de nos resfriarmos. Todos os assentos são aquecidos eletricamente.

2. Comodidade

Neste ano, todas paradas de transportes públicos do centro de Moscou foram dotadas de quadros eletrônicos indicando com rigor o tempo de espera. Além disso, a duração dos itinerários  referidos, todos com ligação às estações de metrô centrais, não ultrapassa 25 minutos, o que possibilita aos visitantes planejar minuciosamente seu dia.  

3. Baixo preço

O último argumento para mergulhar numa aventura destas em pleno inverno: o bonde é barato. O custo de uma viagem é apenas de 40 rublos (cerca de US$ 0,80). São aceitos cartões de viagem azuis claros, bem como cartões universais “Тroika”, válidos para todos transportes coletivos urbanos, à venda nas estações de metrô.

Linha 9: Rua Lessnáia, 20 minutos de duração, ida e volta


Foto: TASS

A linha mais antiga de Moscou, que se alonga pela Rua Lessnáia há 115 anos. Hoje em dia, é o itinerário mais curto que cruza o centro, entre as estações de metrô Belorússkaia e Novoslobódskaia. O ponto de partida e de chegada se encontram na mesma parada, perto da estação Belorússkaia, logo depois dos prédios de escritórios da Rua Lessnáia.

Este trajeto agradará a todos que desejem visitar a Praça Branca, sobretudo quando ela está com  enfeites festivos, com suas iluminações de Natal. A viagem de bonde pode acabar num dos convidativos restaurantes e cafés da Praça Branca.

Linhas 39 e 3: de Tchísstie Prudí à estação Pavelétskaia, 15 minutos de duração


Foto: PhotoXPress

O itinerário se inicia junto da estação de metrô Tchísstie Prudí e percorre parte da Circular dos Bulevares, com seus numerosos palacetes do século 19. Depois, o bonde atravessa a ponte do Rio Moscou, no local em que desagua o rio Iáuza. Da ponte se avista um imponente edifício da Marginal Kotélnitchesskaia –um dos sete arranha-céus de Stálin, outrora habitado pela elite teatral e artística da União Soviética.  

Pouco depois, o bonde para ao pé da estação de metrô Novokuznétskaia e segue em direção à estação Pavelétskaia, onde termina a parte pitoresca da linha.

Se quiser prosseguir a viagem, você pode contemplar longas zonas industriais e quilômetros de bairros monótonos de prédios sombrios. No entanto, a monotonia da paisagem é quebrada pelo Mosteiro de Santo Daniil, pelo Mercado Danílovski (estação de metrô Túlskaia) e por construções do período de Stálin nas cercanias da parada terminal –metrô Universitet.

Linha 7: Novoslobódskaia – Komsomólskaia, 25 minutos de duração


Foto: TASS

Se você tomar um bonde junto da estação de metrô Novoslobódskaia, seguindo até Komsomólskaia, entrará em contato com a vida do centro da capital. O bonde tem paradas  no Museu de Dostoiévski, no Teatro do Exército da Rússia, no Teatro de Animais Durov, passa pela maior mesquita de Moscou, ainda em construção, ao lado do Complexo Esportivo Olimpíiski, vai para a Rua Guiliarovski e alcança a Praça das Três Estações (ferroviárias).

Se você gosta de arquitetura, então desça na Rua Guiliaróvski, um cantinho moscovita de Arte Nova, que sobreviveu por milagre. Caso seja um apreciador da cozinha tradicional russa e saiba falar russo, um pouco que seja, prossiga mais 20 minutos, passando pela estação de metrô Sokólniki, através da ponte do Rio Iáuza, e desça junto do metrô Preobrajénskaia Plochad, ao lado da qual, nas instalações de um antigo mosteiro, fica o Mercado Preobrajénski. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.