Viagem ao redor de Omsk

Ao longo da antiga estrada que ligava Moscou à Sibéria pode-se visitar as aldeias de Stanovka e Forpost Foto: Lori / Legion Media

Ao longo da antiga estrada que ligava Moscou à Sibéria pode-se visitar as aldeias de Stanovka e Forpost Foto: Lori / Legion Media

Lugares remotos oferecem rotas exóticas, águas que curam e história de povos antigos.

Okunevo, uma vila que resistiu ao tempo

Os moradores dizem que “nunca se sabe que tipos de milagres podem acontecer em Okunevo”. Essa vila remota está localizada a 250 quilômetros a norte de Omsk (3 horas de carro ou 5 horas de ônibus) e atrai muitos peregrinos pelo ambiente descontraído, que faz as pessoas perderem a noção de tempo e espaço.

Reza a lenda que os quatro lagos de taiga localizados nas proximidades da aldeia – Linevo, Schutchee, Danilovo e Chaitan – ajudam a melhorar a saúde e podem oferecer poderes cinéticos para aqueles que conseguem chegar às suas encostas, tomar um “banho de lama” e se refrescar nas águas com propriedades curativas.

Profetas siberianos afirmam que esses lagos se formaram literariamente a partir do céu, porque teriam aparecido há milhares de anos como resultado de quatro fragmentos que se desprenderam de um meteorito gigante. Os lagos estão conectados por um rio subterrâneos. Os moradores de Omsk acreditam que beber água mineral da região e nadar nas piscinas naturais oferecem incríveis benefícios para a pele, e problemas de articulação e de tireoide.

Lago Ebeyty, o Mar Morto russo

O lago Ebeyty é um lago mineral a 150 quilômetros de Omsk. Está situado em uma antiga bacia de erosão – aliás, a mais profunda da região. De tão grande, ela se espalha por três regiões administrativas. Maior lago de sal na região, o Ebeyty é visto como um monumento hidrológico natural há quase 30 anos.

A composição da lama presente no lago tem propriedades terapêuticas. O terreno nos entornos é irregular, e, por isso, só dá para chegar ao lago quando o tempo está muito seco; caso contrário, os visitantes correm o risco de afundar na areia movediça.

A viagem para o lago Ebeyty pode tomar um dia inteiro, já que leva umas três horas de carro de Omsk, e mais três para voltar. Recomenda-se levar suprimentos como água, comida e repelente de mosquitos – os insetos atacam em massa à noite.

Generalovka, capital siberiana de cossacos

Do ponto de vista político, ter domínio sobre o centro da Ásia sempre significou – de tsares a almirantes militares – controlar todo o continente. E nessas missões variadas, Omsk sempre desempenhou um papel estratégico. Os cossacos a elegeram sua capital siberiana no passado, mas atualmente sua sede está situada na aldeia de Generalovka, perto da fronteira com o Cazaquistão, a quase uma hora de viagem de Omsk.

Na aldeia é possível visitar uma fazenda de criação de cães de caça. Esses animais são verdadeiras lendas por sua capacidade mental e discrição. Demonstrações de caça podem ser organizadas mediante consulta ou com a ajuda de cossacos locais. Também é possível observar as habilidades equestres de jovens cadetes no centro militar Kazatchi Rubej, assim como curtir danças e canções tradicionais. Há também uma exposição sobre cossacos siberianos no arquivo etnográfico do centro.

Ao longo da antiga estrada que ligava Moscou à Sibéria pode-se visitar as aldeias de Stanovka e Forpost. Ali os turistas se vestem como prisioneiros e são escoltados por cossacos a cavalo pela paisagem pantanosa semelhante ao cenário de quase 300 anos atrás.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.