As cinco mesquitas mais singulares da Rússia

Entre os destaques há uma das maiores mesquitas da Europa e do mundo, além da mais antiga da Rússia e da Comunidade de Estados Independentes (CEI) e da mais ao norte do globo.

As mesquitas da Rússia não só representam a cultura da comunidade muçulmana do país como atraem forasteiros e locais com sua arquitetura inigualável e de dimensões enormes. Na Rússia, há três mesquitas que aspiram o posto de maior templo da Europa. É também na Rússia que se situa a mesquita mais ao norte do mundo.

O Coração da Tchetchênia


Foto: timag82.livejournal.com

A mesquita O Coração da Tchetchênia, batizada em honra do primeiro presidente da República da Tchetchênia, Akhmat Kadirov, é uma das maiores da Europa. Tem capacidade para acolher mais de 10 mil pessoas. A área total do complexo islamita é de 14 hectares. Na galeria estival e na praça adjacente da mesquita podem rezar outros 10 mil crentes. Além disso, a altura dos quatro minaretes que a circundam são os mais altos da Rússia, com 63 metros.

As paredes, tanto as exteriores como as interiores, são revestidas de mármore, apresentando floreados e versículos do Corão em ouro da melhor qualidade, obra de mestres turcos. A mesquita tem oito lustres de cristal Swarovski, cuja fabricação exigiu toneladas de bronze e 2,5 quilos de ouro de lei.

Avenida V. Pútin, cidade de Grozni, República da Tchetchênia

Kul Charif


Foto: Lori Images

Em meados do século 16, o exército russo comandado por Ivan, o Terrível, tomou, à terceira tentativa, Kazan, capital do canato com o mesmo nome. Segundo certa versão, os soldados do czar levaram para Moscou o elmo que servia de coroa aos cãs locais; segundo outra, os ourives do canato vencido fizeram o elmo especialmente para o czar russo.

A forma do elmo inspirou a arquitetura da mesquita chamada Kul Charif, a principal de Kazan, construída no lugar onde havia um templo lendário de vários minaretes, arrasado por Ivan durante suas incursões militares. A mesquita foi inaugurada para festejar o milésimo aniversário da cidade de Kazan. Os portais “The Huffington Post”, “The Wondrous”, entre muitos outros, se referiram à mesquita como uma das mais admiráveis do mundo.

Na mesquita cabem 1.500 fiéis e sua larga parte frontal pode albergar mais 10 mil. O templo foi construído com as doações dos crentes, estando hoje avaliado em 400 milhões de rublos (cerca de US$ 12,17 milhões). Na nave principal estão guardados os livros onde constam os nomes dos 40 mil cidadãos e organizações que, com as suas dádivas, possibilitaram a construção da mesquita.

Kremlin de Kazan, República do Tartaristão

A mesquita Djuma de Derbent


Foto: Lori Images

Localizada na Rússia e fundada em 438 d.C., Derbent é uma das mais antigas cidades do mundo. Fica aqui a mesquita mais antiga da Rússia, construída no ano de 773, para nela se celebrar o namaz coletivo das sextas-feiras. Durante muito tempo, foi o edifício mais alto da cidade. Após o terrível terremoto de final do século 14, foi recuperada. Nos anos 30, a mesquita foi fechada durante uma campanha ateísta alimentada pelas autoridades soviéticas, acabando por ser convertida num estabelecimento prisional. Entretanto, em meados do mesmo século, foi devolvida ao clero. Hoje, a mesquita Djuma faz parte do patrimônio cultural da Unesco.

Rua Buinakski, n.º 76, Museu-Reserva de Derbent, República do Daguestão

Nurd Kamal


Foto: wikipedia.org

Há mais de 15 anos que a mesquita Nurd Kamak embeleza a cidade de Norilsk, no Círculo Polar. Está registada no Guinness como a mais ao norte do mundo. A arquitetura do templo é distinta da tradicional, devido às condições climáticas da região. A base do minarete, geralmente arredondada, ganha aqui a forma de um quadrado. Graças a esta solução, as paredes de tijolo resistem mais ao frio e às rajadas do vento.

A mesquita foi encomendada pelo empresário Mitkhad Bikmeev, um tártaro nascido em Norilsk. Foi ele que escolheu o nome invulgar de Nurd Kamal, uma conjugação dos nome de seus pais: Nuritdin e Gainikamal.

Rua 50 Anos de Outubro, n.º 2 A, Norilsk, Território de Krassnoiarsk

Lialia-Tulpan


Foto: Lori Images

A mesquita Lialia-Tulpan (Tulipa) é o centro muçulmano mais importante da República do Bascortostão. Foi construída com o dinheiro dos crentes e o apoio do governo local.

A mesquita é interessante pela singularidade das suas linhas: o edifício principal, por sua forma e cor, se assemelha a uma tulipa acabada de desabrochar, enquanto os minaretes parecem dois botões ao alto. Estas similaridades não são casuais, já que a tulipa é um símbolo dos povos turcos. Segundo uma lenda basquir, a felicidade está dentro do botão de uma tulipa por abrir.

Lialia-Tulpan tem capacidade para 1.000 crentes. Seus minaretes, de 53 metros, são os terceiros na Rússia em termos de altura, a seguir aos das mesquitas Coração da Thetchênia (63 m) e Kul Charif (57 m).  

Rua Komarova, n.º 5, cidade de Ufá, Bascortostão

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.