Dez lembranças para trazer de Sôtchi

Tchurtchkhella é um doce originário do Cáucaso Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Tchurtchkhella é um doce originário do Cáucaso Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Gazeta Russa selecionou as lembranças e presentes que merecem particular atenção durante a sua estadia em Sôtchi.

Em Sôtchi, as lembranças com os símbolos olímpicos desfrutam atualmente de extrema popularidade –elas já estão sendo vendidos praticamente em cada esquina. E não são apenas bijuterias, bichos de pelúcia e ímãs, mas a objetos como pranchas de snowboard, esquis, patins, capacetes, roupas etc. Não se preocupe com as falsificações: todo o artigo olímpico na cidade está licenciado e é vendido em qualquer loja pelo mesmo preço.

Mas Sôtchi não é apenas Jogos Olímpicos. Muito antes de eles virem para cá, esta cidade-resort já tinha desenvolvido a sua própria tradição de lembranças locais únicas.

1. Conchas marinhas

Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Apesar das muitas controvérsias dos cientistas sobre a camada sulfúrica do fundo do Mar Negro, ali existe vida para além dos peixes e das algas. As conchas de mexilhões e búzios são particularmente bonitas porque os artesãos locais as usam de bom grado nos seus trabalhos. Se você gosta de objetos naturais, poderá procurá-las diretamente nas praias da região da ulitsa Primorskaya.

2. Folha de louro

Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Esta planta perene não é incomum nas ruelas mais escuras da cidade (na ulitsa Roz, 63, por exemplo), ora em forma de pequenos canteiros de arbustos podados à mesma altura, ora em altas árvores frondosas. Na Grécia antiga, os vencedores dos Jogos Olímpicos eram coroados com ramos de louros. Hoje essa tradição já se perdeu, mas o louro continua simbolizando a paz, uma nova vida, a eternidade, a imortalidade e a glória. E há também o lado prático da questão: na Rússia, estas folhas são adicionadas aos alimentos durante o cozimento, especialmente às carnes, sopas e pratos de legumes.

Leve para casa alguns ramos de louro frescos. Eles aguentarão muito tempo em um vaso (sem água) e farão você recordar da sua viagem a Sôtchi. E quando os ramos secarem, as folhas podem ser colocadas em um frasco seco e utilizadas como condimento.

3. Eucalipto

Durante o ano inteiro é possível comprar nos mercados do resort (Sôtchi: ulitsa Moskovskaya, 22, ou Adler: ulitsa Demokraticheskaya, 38-а) grandes galhos de eucalipto. As histórias que circulam sobre as propriedades curativas desta árvore são verdadeiras. A infusão das folhas do eucalipto é bebida para ajudar no tratamento de muitas doenças. E quanto aos ramos propriamente ditos, eles são indispensáveis para a bania (tipo de sauna tradicional russa) e a sauna. Pelo seu aroma, costumam ainda ser colocados em água a ferver na casa de alguém que esteja resfriado –trata-se de uma receita popular comprovada.

4. Temperos

Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Como se sabe, o Cáucaso é famoso não apenas por sua cozinha extraordinária, mas também pelas ervas que a tornam extraordinária. Especiarias e condimentos comprados no mercado local (Sôtchi, ul. Moskovskaya , 22, e Adler, ulitsa Democraticheskaya, 38 -a) são comprados pelos turistas e transportados para todo o país no verão. O mais chamativo deles é o molho caseiro adjika, que normalmente é vendido com a indicação de ‘forte’, ‘moderado’ ou ‘fraco’. Ele tem um período de conservação muito longo porque é feito de pimenta vermelha picante, sal e ervas. Quais são precisamente estas ervas é segredo bem guardado. O adjika acompanha desde pratos de carne a massas.

5. Basturmá

Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Um bom aperitivo é o basturmá –carne de vaca seca e salgada de um modo especial e envolta em uma crosta picante de especiarias aromáticas do Cáucaso. É um ótimo petisco para acompanhar cerveja. Dura muito tempo e seguramente não estraga em uma longa viagem. Ela também pode ser encontrada no mercado da cidade e em lojas privadas.

6. Tchurtchkhella

O Krasnodarkiy é o chá cultivado mais a Norte em todo o planeta e, por isso, com seu sabor inconfundível e cor própria, um ótimo acompanhamento para ele é a tchurtchkhella –um doce originário do Cáucaso. Ele é feito em condições caseiras: em uma corda se prendem enfileirados vários miolos de noz e depois este ‘colar’ de nozes é mergulhado várias vezes em uma densa e quente geleia de uva. Aos poucos a geleia vai arrefecendo e acaba criando uma ‘cobertura’ sólida sobre as nozes. A tchurtchkhella também tem um prazo de validade bem longo. As crianças adoram.

7. Quadros

Local com mar e montanhas é também local onde nascem pintores. O Mar Negro, com toda a sua riqueza de cores e tons, inspira o pincel dos mestres locais que criam quadros com diferentes graus de mestria e que podem ser admirados e comprados no Museu de Arte (Kurortnyi prospekt, 5), na marginal central de Sôtchi (ulitsa Primoskaya) e no parque Riviera (ulitsa Egorova, 1).

8. Objetos e atributos da era soviética

Foto: Dmítri Sinepostolovitch

Infelizmente, é difícil encontrar lembranças tradicionais russas, como matrioscas ou protetores de orelhas, na Sôtchi de hoje. Em compensação, pode-se adquirir artigos únicos, que, tendo em conta o seu alto valor histórico, são relativamente baratos. A cidade tem uma tradição interessante. Todo final de semana, colecionadores se reúnem nas praças em volta do Museu de Arte. Aqui eles conversam e trocam artigos das suas coleções. No entanto, há sempre alguém vendendo algo. Normalmente, são notas e moedas da era soviética, brochinhos e selos, livros, cartões postais e até objetos de decoração –tudo da época do regime soviético. É preciso vir na parte da manhã, já que depois do almoço, normalmente, os colecionadores vão para casa.

Endereço: cidade de Sôtchi, Kurortnyi prospekt, 51

9. Artesanato de bambu

Muitas vezes se encontram nas lojas de lembranças turísticas de Sôtchi objetos feitos do bambu, que cresce na periferia da cidade. Os objetos –100% artesanais– são criações dos artesãos de Sôtchi. Tradicionalmente, o que mais se encontra em bambu é louça, caixinhas, cinzeiros, molduras para fotos, tapetes e esteiras, bases de mesa para colocar debaixo dos pratos e calçadeiras. Uma das vantagens desses objetos é o de serem leves e não terem nenhum impacto significativo no peso total da sua bagagem.

10. Vidro

Uma visita interessante pode ser feita ao Estúdio do Vidro Artístico, que fica em Adler, perto da fazenda de trutas. Durante a visita é possível conhecer as tradições mundiais e russas do fabrico artesanal do vidro soprado, ver uma exibição da técnica e comprar uma lembrança. Os mestres vidreiros farão um peça diretamente na sua frente. Cada artigo vai acompanhado com um certificado de autenticidade.

Endereço: Sôtchi , bairro de Adler , ulitsa Floretskaya, 41-A

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.