Conheça as sete excursões mais inusitadas pela Rússia

Foto: Lori / Legion Media

Foto: Lori / Legion Media

Gazeta Russa selecionou os sete lugares mais inusitados para os turistas estrangeiros na Rússia.

A Rússia é o lugar perfeito para o chamado “turismo profundo”, que propicia ao turista não só vislumbrar o país, como também mergulhar em um novo ambiente cultural. Se antes qualquer viagem, com exceção de roteiro turístico pela cidade, tinha de ser organizada por inteiro pelo próprio interessado, agora não é difícil conseguir um pacote totalmente planejado para os mais incríveis destinos russos.

A Gazeta Russa selecionou os sete lugares mais inusitados para os turistas estrangeiros na Rússia.

Campos de Lótus – Província de Ástrakhan

Agência de viagens:In.turist-Astrakhan

Custo: € 230, excursão individual;  € 40 euros, em grupo

Duração: um dia

Quando: de agosto a setembro

Contato:baza@intast.ru  

Lótus é a flor sagrada dos budistas. Em geral, todas as associações com a flor ignoram totalmente a Rússia, lembrando, essencialmente, a Índia ou a China. No entanto, em agosto e setembro, no delta do rio Volga, na região da Reserva Natural de Ástrakhan, floresce o lótus do Cáspio, sendo esta a área a de crescimento mais setentrional do mundo da flor.

Ali estão as maiores extensões de florescimento de lótus do planeta, que atingem 15 km de comprimento por três de largura. Para ver esta maravilha natural, um só dia basta –o tour padrão dura de 8 a 10 horas. Um navio leva turistas o mais próximo possível das plantas, onde barcos os conduzem para o meio dos campos de lótus, sendo permitido nadar no Rio Volga.

Cruzeiro até a ilha Wranguel – Tchukotka


Iilha Wtanguel é considerada o “lar” dos ursos polares Foto: Alamy/Legion Media

Agência de viagens:RussiaDiscovery

Custo: € 7.450

Duração: 15 dias

Quando: agosto

Contato: go@russiadiscovery.ru

Na ilha Wranguel nasce um novo dia. Na verdade, ela se localiza exatamente na intersecção entre os hemisférios ocidental e oriental. A ilha é considerada o “lar” dos ursos polares. Desde 2004, é Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.  O navio da excursão costeia a parte nordeste da Eurásia até o Estreito de Bering, atravessa a Círculo Polar Ártico e aporta na ilha Wrangel.

Tour do horror aos campos do Gulag – território de Perm

Agência de viagens:Solo-Tur

Custo: € 700 para viagens individuais; € 130, em grupos de cinco

Duração: quatro dias

Quando: de junho a setembro

Contato:info@northural.ru

Os viajantes partem de Solikamsk e visitam alguns lugares ao longo do rio Glukháia Vilva, que abrigava os campos Gulag de trabalho forçado: vila Sim, os povoados Tsvetkovo, Rzhavets, Krásni Iar, entre outros. Durante o passeio, são organizados raftingsem rios locais e uma visita ao cemitério de mamutes nos arredores de Krásni Iar. O conforto da excursão é básico: em duas das três noites o alojamento é em barracas, logo é preciso estar pronto para encarar não só a história, como também sobrecarga física.

Epicentro da explosão de Tunguska - Território de Krasnoiarsk


Passeios ao epicentro do meteorito de Tunguska são bastante diversificados e podem ser modificados de acordo com as mais diversas demandas Foto: Lori/Legion Media

Agência de viagens:Akris

Custo: € 600

Duração: quatro dias

Quando: junho a setembro

Contato:office@acris.ru

As primeiras informações sobre o incrível poder da explosão surgiram em 1908, quase que de imediato após o incidente. Não foi possível até hoje chegar a uma conclusão definitiva do que aconteceu exatamente na região de Krasnoiarsk,  decorridos mais de cem anos; ainda não há uma resposta clara sobre a causa do fenômeno.

Devido à sua popularidade, os passeios ao epicentro do meteorito de Tunguska são bastante diversificados e podem ser modificados de acordo com as mais diversas demandas. Por exemplo, uma caminhada de três horas pode ser, mediante pagamento adicional, substituída por um vôo de helicóptero, de 20 minutos, até o destino. Um pernoite em um acampamento de barracas em vez de um quarto de hotel pode ser providenciado. O passeio exige dos participantes boa forma física.

Os organizadores prometem amostras de rochas, explorações e aprofundamento em todos os tipos de teorias sobre o que exatamente aconteceu neste lugar há mais de cem anos.

}

Mina de diamantes “Mir” – Iakútia


Poço de diamantes “Mir”, na periferia da cidade de Mírni, na Iakútia Foto: Lori / Legion Media

Agência de viagens:Siberian Trip 

Custo: Depende da rota

Duração: 1 a 2 dias

Quando: o ano todo

Contato: rassvet2004@bk.ru

De acordo com o programa Iakútia de Diamante, que inclui o acesso a depósitos de diamantes, familiarização com os processos de mineração e de corte, é possível ver um dos lugares mais espetaculares do mundo formado por ação humana –o poço de diamantes “Mir”, na periferia da cidade de Mírni, na Iakútia.

A mina de diamantes começou a ser explorada em 1955, e a profundidade do poço, atualmente, chega a 450 m, e o diâmetro externo, 1.200 m. Sabe-se que acima do poço “Mir” não voam helicópteros porque, devido à diferença de correntes de ar, seriam literalmente sugados às profundezas.

Agora, a mina é uma das vistas mais impressionantes de Iakútia, até fotografias simples fascinam. Esta é a única mina do mundo que pode ser vista do espaço e que é listada regularmente em revistas científicas entre os locais mais espetaculares do mundo.

O Polo do Frio - Oimiakon, Iakutia

Agência de viagens:RussiaDiscovery

Custo: € 1.800

Duração: nove dias

Quando: janeiro a março

Contato:go@russiadiscovery.ru

Quase todos os anos, Oimiakon surge no noticiário com relatos de novo recorde de temperatura: ali foi registrada a mais baixa temperatura na Terra, -71,2°C, e a temperatura média no inverno se mantém em torno de -50°C. Difícil é acreditar que lá vivam pessoas (cuja idade, a propósito, graças ao frio, pode chegar a 120 anos) ou que o local seja visitado por turistas.

A viagem dura nove dias, sendo realizada três vezes por estação –em janeiro, fevereiro e março. O número máximo de participantes do grupo é de 8 pessoas. Uma verdadeira expedição etnográfica aguarda o turista, com um mergulho na história e nos costumes dos habitantes locais e integração na cultura e na vida do povo que habita aquela terra. Oimiakon é o melhor lugar para testar a própria resistência.

Visita a vulcões ativos – Kamtchatka


No mundo inteiro, Kamtchatka  é conhecida por seus vulcões Foto: Lori / Legion Media

Agência de viagens:Kamchatka Travel  (site em inglês)

Custo: € 1.950 em grupos de 16 participantes

Duração: 17 dias

Quando: julho até setembro

Contato:http://www.travelkamchatka.com/request.htm

No mundo inteiro, Kamtchatka  é conhecida por seus vulcões, pelo salmão, pelos ursos e por sua exuberância selvagem e extrema inacessibilidade. No entanto, o novo itinerário de 17 dias em um planalto rodeado por nove vulcões ativos permitirá uma verdadeira aventura em campos de lava, com uma subida até a boca do vulcão Plóski Tolbachic e passeios fotográficos na tundra.

Os viajantes têm o acompanhamento de um guia que fala inglês, podem aproveitar verdadeiras saunas russas e a oportunidade de escolher a dificuldade da rota, dependendo do preparo físico. É necessário passar algumas noites acampando em barracas e as restantes em confortáveis ​​quartos de hotel. A rota é percorrida basicamente a pé, com alguns trajetos em jipes e caminhões para pontos distantes do planalto.

}

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.