Bolshoi cancela apresentação de balé sobre dançarino gay

Rudolf Nureyev em Nova Iorque, 1978

Rudolf Nureyev em Nova Iorque, 1978

AP
Decisão foi tomada três dias antes da estreia do espetáculo sobre Rudolf Nureyev.

Um dos espetáculos de balé mais esperados do ano – a apresentação do teatro Bolshoi sobre a vida do dançarino soviético Rudolf Nureyev  - foi adiado para 2018. O diretor geral do teatro, Vladímir Úrin, revelou que o espetáculo irá estrear no dia 4 de maio do ano que vem. A data inicial de estreia era nesta terça-feira (11). É a primeira vez em décadas que o teatro Bolshoi cancela a estreia de uma apresentação.

O teatro Bolshoi não poupou despesas nas preparações para “Nureyev”, que terá direção de Kirill Sereberennikov, coreografia de Iúri Póssokhov e música de Iliá Demútski. Os três trabalharam juntos no sucesso “Herói do Nosso Tempo”, balé apresentado no Bolshoi em 2015.

Nesta segunda-feira (10), Úrin organizou uma coletiva de imprensa para falar sobre o cancelamento e afirmou que não houve pressão do governo russo para mudar a data. 

O diretor geral do teatro Bolshoi, Vladímir Úrin, e o diretor do balé Makhar Vaziev Foto: APO diretor geral do teatro Bolshoi, Vladímir Úrin, e o diretor do balé Makhar Vaziev Foto: AP

Balé provocante

Nureyev era abertamente gay e deixou a União Soviética de forma escandalosa em 1961. Ele era famoso por sua genialidade, mas também tinha fama por seu comportamento excêntrico.

De acordo com o jornal russo “Kommersant”, o teatro comprou os direitos de uso de uma foto de Nureyev nu, feita pelo fotógrafo Richard Avedon, e travestis foram escalados para dançar em uma das cenas.

Rudolf Nureyev dança em “As Sílfides”, em 1972, em homenagem a Serguêi Diáguilev, na Ópera de Paris Foto: AFPRudolf Nureyev dança em “As Sílfides”, em 1972, em homenagem a Serguêi Diáguilev, na Ópera de Paris Foto: AFP

Caso o espetáculo não tivesse sido cancelado, poderia indicar uma mudança de atitude em relação aos homossexuais na Rússia.

Depois que Úrin assistiu ao ensaio final de “Nureyev” no dia 8 de julho, o teatro decidiu substituir as quatro apresentações programadas pelo espetáculo “Dom Quixote”, sem dar maiores explicações. Mas, três dias após o cancelamento, o diretor geral do Bolshoi explicou que a performance foi adiada para o próximo ano porque não estava pronta, e que o coreógrafo Iúri Póssokhov concordou com sua opinião.

Ainda durante a coletiva de imprensa, Úrin disse entender que o adiamento do espetáculo é prejudicial à reputação do Bolshoi, mas que o teatro não terá perdas financeiras. Ele afirmou que a cenografia da performance será mantida e que os ensaios serão retomados em abril de 2018.

Cartaz anuncia a estreia do balé “Nureyev” em Moscou Foto: AFPCartaz anuncia a estreia do balé “Nureyev” em Moscou Foto: AFP

A crítica de balé russa Anna Gordéeva escreveu em seu perfil no Facebook que a afirmação de que o espetáculo não estava pronto é falsa. “Todos os participantes e espectadores do ensaio geral disseram que a performance estava pronta para seguir adiante e na verdade estava mais bem acabada do que muitas outras estreias”, escreveu Gordéeva.

Dançarinos do Bolshoi afirmaram à agência TASS que não consideraram a performance “crua”. “Já houve balés menos preparados no passado e mesmo assim foram apresentados ao público”, disse um espectador do ensaio. “Talvez seja uma das melhores produções de Póssokhov já feitas até hoje”, continuou.

Para muitos, a decisão de adiar a estreia da performance se deu por razões políticas.

O diretor Kirill Serebrennikov vem trabalhando na produção desde fevereiro sem pausa. Ele declarou ao jornal “Vedomosti” que não comentaria sobre o adiamento, dizendo apenas que “foi uma decisão do teatro”.

Kirill Serebrennikov Foto: Vyacheslav Prokofyev / TASSKirill Serebrennikov Foto: Vyacheslav Prokofyev / TASS

Durante a festa de encerramento da temporada de seu teatro, o Gogol Center, o diretor disse que, enquanto autoridades e regras mudam, a arte é permanente – e a performance eventualmente será encenada.

O compositor Iliá Demútski escreveu no Facebook que não iria comentar sobre o adiamento de “Nureyev”. “Haverá um pronunciamento oficial em breve. Eu amo todos os que trabalharam nessa obra de beleza extraordinária – artistas do balé para quem deveríamos construir um monumento, artistas da orquestra que me fizeram apaixonar por minha própria música. Amor. Isto é o que eu sinto pelas 600 pessoas que se prepararam para um balé que não irá existir”, disse ele.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.