8 regras não escritas de um jantar numa casa russa

Friends having dinner party at home.

Friends having dinner party at home.

Getty Images
“Nós somos o que comemos” é uma das expressões mais comuns no mundo todo. Na Rússia, porém, não só o que importa o QUE, mas COMO se come. Confira as dicas abaixo antes de aceitar um convite de almoço ou jantar na casa de um amigo russo.

Regra nº 1: Coma o que quiser, quando quiser

(Foto: Getty Images)(Foto: Getty Images)

Os russos são flexíveis sobre a hora de almoçar e jantar, isso varia de família para família, e de pessoa para pessoa. Os restaurantes servem diferentes tipos de comida a qualquer hora, o que não é o caso em outros países, como a Itália, por exemplo.

Quando estão aguardando um convidado, os russos também são flexíveis em relação ao tempo. Se alguém estiver atrasado para o jantar, ele ou ela pode comer sozinho.

Há flexibilidade não só com a hora de chegar, mas também com a ordem em que os pratos são servidos. A estrutura do jantar não é rigorosa, embora uma refeição geralmente inclua sopa, salada, carne ou peixe, e um acompanhamento, como arroz, batatas ou ‘lapcha’ (espaguete russo) e, finalmente, sobremesa. Mas é possível ignorar qualquer parte dessa lista ou alterar a ordem.

“Fiquei muito surpresa que meus parentes russos, após o prato principal e a sobremesa, começaram a papear enquanto comiam quitutes salgados de novo. Foi uma comilança sem parar”, lembra o italiano Nino sobre sua experiência em um jantar russo durante a semana de celebrações de Ano Novo.

Nino ficou ainda mais confuso porque a ordem dos pratos mudava de casa para casa, e ele nunca tinha certeza se a salada seria consumida antes ou depois do prato principal, por exemplo. Portanto, o principal é: esqueça todas as regras!

Regra nº 2: Não coma a seco

(Foto: Getty Images)(Foto: Getty Images)

Há, porém, uma importante regra não escrita para refeições na Rússia. É comum as mães dizerem a seus filhos: “Não coma a seco!”. Isso significa que, enquanto se come, deve-se também beber alguma coisa. A lógica por trás disso (e bastante contestada por médicos) é que o líquido pode ajudar a digestão. Então, não se surpreenda se junto com o prato principal você receber uma xícara de chá quente. Outra opção é adicionar sopa à refeição ao comer apenas um sanduíche.

Regra nº 3: Carne e pão são essenciais para sobrevivência

(Foto: Getty Images)(Foto: Getty Images)

O que é realmente importa é ter carne durante o almoço ou o jantar. Os russos geralmente comem carne todos os dias, e, apesar do número de vegetarianos estar crescendo no país, é difícil encontrar um vegetariano russo de meia idade.

“A carne deve ser incluída na dieta do dia a dia, eu não conseguiria sobreviver sem carne por um único dia sequer”, diz Iura, que não entende o estranhamento de sua mulher alemão sobre o tema nem como seus amigos italianos podem ficar satisfeitos com um almoço composto somente por alface e tomate.

O inverno russo, no entanto, é longo e frio, e as pessoas precisam de muitas calorias para sobreviver. É por isso que o pão é oferecido junto com quase qualquer prato.

Regra nº 4: Cebola e alho são remédios para saúde

O que mais pode ajudar a sobreviver ao inverno e proteger o sistema imunológico? “Há uma obsessão por comer cebola e alho crus com o jantar e o almoço. Os russos acreditam que isso ajuda a evitar resfriados. Eu nunca tentei e também nunca fiquei doente”, diz o alemão-holandês Alex, que trabalhou no oeste siberiano por quatro meses. Cebolas cruas também são um ingrediente comum em saladas.

Regra nº 5:  Endro é ingrediente para qualquer prato

(Foto: Legion Media)(Foto: Legion Media)

Não espere encontrar variedades de especiarias nos pratos russos além de pimenta-do-reino, folhas de louro e endro.  “Muitos pratos russos poderiam se beneficiar do uso de mais especiarias para melhorar as diferentes nuances de sabor”, diz o italiano Nino. “No geral, tudo é dominado pelo sabor de maionese”, acrescenta.

Durante o tempo em que ficou na Rússia, a norte-americana Lara se irritou com a adição de endro em (quase) tudo. “Eles simplesmente colocam isso em toda parte! Toda vez que eu entrava em uma “stolovaia” [cantina popular nos tempos soviéticos entre a classe trabalhadora], o único cheiro que eu discernia era de endro!”

Regra nº 6:  ‘Quando como, sou surdo e burro’

(Foto: Getty Images)(Foto: Getty Images)

Há uma expressão famosa que as mães russas usam com seus filhos: “Quando eu como, sou surdo e burro”. Esse conselho é dado por questão de segurança: alguém pode se engasgar facilmente se estiver falando e comendo ao mesmo tempo.

Essa pode ser a razão pela qual os russos parecem antissociais enquanto comem –  pois aprenderam essa regra desde a infância. “Parece que os russos comem mais para se nutrir; a refeição não é um momento de socialização como na França, ou em Portugal, por exemplo”, diz Claire, que viveu na Rússia há quatro meses. Mas, para quebrar esse gelo, basta colocar vodca ou chá sobre a mesa.

Regra nº 7:  O chá, sim, é a hora de socializar

(Foto: Getty Images)(Foto: Getty Images)

Você pode ter lido muitos artigos sobre as tradições de vodca e hospitalidade na Rússia, mas o chá – e não a vodca – é a principal bebida nacional, sendo geralmente servido com biscoito ou bolo. Esse é o momento em que a refeição principal termina, e as pessoas ficam relaxadas e começam a prosear.

Assim que entrar em qualquer casa russa, você sempre receberá chá; e, ao terminar,  a xícara será preenchida novamente. Trata-se de um gesto de hospitalidade, e o objetivo é fazer o visitante se sentir quente dentro de casa quando está bem frio lá fora.

Regra nº 8:  Não é preciso ajudar o anfitrião (mas ofereça)

Um convidado é a pessoa mais importante durante o jantar, e o anfitrião sempre tentará agradá-lo ao máximo. “As pessoas ficam tão focadas em servir os convidados que me sento desconfortável. É como quando você vai a um restaurante, o garçom serve, mas não come”, diz Nino. No entanto, oferecer ajuda não ofende ninguém.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.