A primeira e última visita da princesa Diana à Rússia

Принцесса Диана во время посещения Тушинской детской больницы.

Принцесса Диана во время посещения Тушинской детской больницы.

Sergei Mamontov/TASS
Em homenagem à princesa Diana, que faleceu há exatos 20 anos, recordamos a única vez em que ela esteve na Rússia, em 1995.

(Foto: AP)(Foto: AP)

O compromisso sincero com o trabalho humanitário e dedicação para melhorar a vida das pessoas desfavorecidas levou a princesa de Gales para muitos países ao redor do mundo – incluindo a Rússia. Em Moscou, ela esteve por dois dias em junho de 1995.

(Foto: AP)(Foto: AP)

Diana chegou em 15 de junho e dirigiu-se diretamente do aeroporto ao edifício da sede do governo russo (também conhecido como Casa Branca) para se encontrar com autoridades nacionais responsáveis ​​pela política social – na época, o vice-primeiro ministro Iúri Iarov e a ministra da Segurança Social Ludmila Bezlepkina.

(Foto: Reuters)(Foto: Reuters)

Naquela noite, a princesa fez uma visita ao Teatro Bolshoi. O público a aplaudiu ao sentar-se no camarote real para assistir ao balé La Sylphide.

(Foto: AP)(Foto: AP)

Diana adorava balé e apoiava o Ballet Nacional Inglês, mas era alta demais para dançar profissionalmente. Em Moscou, encontrou-se com os bailarinos do Bolshoi.

(Foto: Serguêi Mamontov/TASS)(Foto: Serguêi Mamontov/TASS)

No segundo dia de viagem, Diana esteve no hospital infantil de Tuchinskaia, com o  qual contribuía desde antes como chefe do Fundo de Caridade do Hospital.

(Foto: Serguêi Mamontov/TASS)(Foto: Serguêi Mamontov/TASS)

Em primeiro lugar, a princesa quis falar com as crianças.

Antes de conhecer o gerente sênior do hospital, sentou-se no chão com as crianças e pediu ao intérprete para traduzir tudo o que lhe diziam. “Era uma mulher muito calma e persistente”, descreveu, mais tarde, um dos funcionários do hospital. “Ela foi ao departamento de traumatologia para se encontrar com crianças que haviam sofrido ferimentos em acidentes de carro e trem, e ela viu as feridas. Até mesmo membros de sua escolta pessoal desmaiaram, enquanto Diana caminhava serenamente pela ala.”

(Foto: Reuters)(Foto: Reuters)

Diana trouxe consigo novos equipamentos médicos para o hospital, incluindo manequins infantis para serem utilizados em treinamento médico, e realizou uma oficina para estudantes locais sobre como enfaixar um bebê (para acalmá-lo).

(Foto: AP)(Foto: AP)

Em seguida, a princesa visitou a escola primária número 751, onde abriu uma seção do Waverly House Relief Fund para assistência a crianças com deficiência.

(foto: Serguêi Mamontov/TASS)(foto: Serguêi Mamontov/TASS)

Por todos lugares em que passou na capital, havia multidões de pessoas interessadas em vê-la ou pedir um autógrafo. Os fotógrafos oficiais tiveram dificuldade em segui-la pela cidade, mas ela não deixou a capital sem ver o Kremlin e a Praça Vermelha.

(Foto: Wikipédia)(Foto: Wikipédia)

A viagem a Moscou terminou na embaixada britânica, onde o político russo Aleksandr Iakovlev, concedeu-lhe formalmente um prêmio por seu trabalho social e humanitário. Dois anos depois, quando o mundo foi abalado pela notícia de sua morte trágica, o então presidente da Rússia, Boris Iéltsin, ressaltou para o fato de Diana ter sido amada não só na Grã-Bretanha, mas também em outros países, como a Rússia.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.