O design das caixas de fósforo soviéticas; veja fotos

Igor Rodin
Conheça algumas peças de uma das maiores coleções de caixas de fósforo da Rússia, reunidas pelo colecionador Bogdan Spichkoff. Rótulos eram peça de arte e mostram que nem tudo se resumia a foice e martelo.

Caixas de fósforo dedicadas aos 50 anos da revolução bolchevique (Foto: Ígor Rodin)Caixas de fósforo dedicadas aos 50 anos da revolução bolchevique (Foto: Ígor Rodin)

Os russos começaram a decorar as caixas de fósforos no final do século 19. Na década de 1920, o Diretório Principal da Indústria de Fósforo aprovou uma norma para que as caixas de fósforo tivessem “rótulos artísticos e politicamente corretos”.

União da Juventude Comunista estampada em caixa de fósforo (Foto: Ígor Rodin)União da Juventude Comunista estampada em caixa de fósforo (Foto: Ígor Rodin)

As caixas de fósforo elaboradas foram apresentadas ao público soviético Em 1947. “A produção em massa de caixas de fósforo com rótulos de temática soviética começou em 1957, durante o 6º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes em Moscou”, diz Bogdan Spichkoff, diretor do Museu do Fósforo na capita russa. Seu sobrenome é um pseudônimo derivado de spichka, a palavra russa para ‘fósforo’.

Caixinhas em celebração dos 60 anos do cinema soviético (Foto: Ígor Rodin)Caixinhas em celebração dos 60 anos do cinema soviético (Foto: Ígor Rodin)

Os temas cobriam não apenas o outubro vermelho e a revolução bolchevique – havia caixas de fósforo dedicadas a caça e literatura, hóquei e futebol, música e cinema. Alguns tinham ilustrações de provérbios russos, enquanto outras tentavam explicar o estranho sistema de parentesco na URSS.

Motocicletas soviéticas impressas na embalagem de fósforo (Foto: Ígor Rodin)Motocicletas soviéticas impressas na embalagem de fósforo (Foto: Ígor Rodin)

No entanto, era difícil encontrar rótulos com temas militares. “Quase todas as informações sobre equipamentos e máquinas militares eram secretas”, disse Bogdan à Gazeta Russa. As representações de maquinário agrícola, carros e, especialmente, motocicletas eram, por sua vez, abundantes.

Hóquei no gelo era parte fundamental da cultura esportiva na URSS (Foto: Ígor Rodin)Hóquei no gelo era parte fundamental da cultura esportiva na URSS (Foto: Ígor Rodin)

Segundo Bogdan, os garotos soviéticos eram colecionadores fervorosos de caixas de fósforo com rótulos temáticos. Eles pediam para seus pais comprá-los e – assim como figurinhas – trocavam as repetidas com seus vizinhos e amigos. Um artigo de 1970 relata, inclusive, que alguns se arriscavam em lixões na busca pelos rótulos desejados.

Caixas de fósforo com motivos de caça (Foto: Ígor Rodin)Caixas de fósforo com motivos de caça (Foto: Ígor Rodin)

Nessa mesma reportagem, uma mãe expressa preocupação de que as crianças estejam colecionando caixas de fósforo “sujas”, que poderiam causar um incêndio. “A maioria dos incêndios ocorrem porque as crianças brincam com fósforos”, diz a mulher. O artigo, no entanto, refuta esse argumento e mostra que os incêndios são causados ​​por pais e seu uso incorreto de eletrodomésticos. “Além disso, colecionar caixas de fósforos mantinha os filhos longe da rua e da ociosidade”, descreve Bogdanov.

Caixas de fósforo inspiradas no balé russo foram lançadas durante o 6º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes em Moscou (Foto: Ígor Rodin)Caixas de fósforo inspiradas no balé russo foram lançadas durante o 6º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes em Moscou (Foto: Ígor Rodin)

Além dos desenhos, existiam vários tipos de caixas de fósforo. Elas diferiam em tamanho, formato dos fósforos e até mesmo no material. Antes dos anos 1970, muitas fábricas usavam materiais mais resistentes que o papelão. As caixinhas vinham dentro de uma caixa maior também ilustrada.

Produto para exportação com imagens de cidades turísticas na URSS (Foto: Ígor Rodin)Produto para exportação com imagens de cidades turísticas na URSS (Foto: Ígor Rodin)

As caixas de fósforo eram, geralmente, produzidas em série. “Uma série tinha de 6 a 28 rótulos diferentes e, muitas vezes, era vendida da seguinte forma: nove caixas de uma embalagem tinham um rótulo ‘X’ e a 10ª era diferente”, lembra Bogdan.

Caixa inspirada na cidade de Penza (Foto: Ígor Rodin)Caixa inspirada na cidade de Penza (Foto: Ígor Rodin)

Os designers de embalagens tentavam retratar aspectos da cultura russa, uma vez que alguns eram apenas para exportação e não podiam ser encontrados no país. “No entanto, quase nenhum deles recebeu crédito por seu trabalho”, acrescenta Bogdan.

Caixas de fósforo dedicadas ao cosmonauta Iúri Gagárin (Foto: Ígor Rodin)Caixas de fósforo dedicadas ao cosmonauta Iúri Gagárin (Foto: Ígor Rodin)

Os típicos temas “soviéticos” feitos para presentes e souvenirs incluíam imagens da exploração espacial, de símbolos russos (como Kremlin ou balé), da revolução bolchevique e das Olimpíadas de Moscou, em 1980, entre outras. Às vezes, essas pequenas caixas de fósforo mais pareciam romances gráficos.

Caixa de fósforo de souvenir ‘Floresta russa’ (Foto: Ígor Rodin)Caixa de fósforo de souvenir ‘Floresta russa’ (Foto: Ígor Rodin)

No entanto, mesmo na URSS havia caixas de fósforo de ‘elite’.

A chamada ‘Floresta russa’, por exemplo, só era encontrada em lojas especiais, enquanto outras eram distribuídas apenas entre os membros da elite local – incluindo ministros, oficiais do governo e líderes do Partido Comunista.

Algumas caixas de fósforos eram embaladas em uma caixa maior com outras ilustrações temáticas (Foto: Ígor Rodin)Algumas caixas de fósforos eram embaladas em uma caixa maior com outras ilustrações temáticas (Foto: Ígor Rodin)

Na época da URSS, havia 24 fábricas que produziam fósforos.

“Mas apenas um punhado delas, como a Balabanovskaya, realmente desenhava e imprimia os rótulos”, diz Spichkoff. Fábricas como essa tinham departamentos especiais com designers e desenhistas. Infelizmente, quase todas deixaram de existir na década de 1990.

Caixa com urso que foi mascote da Olimpíada de Moscou (Foto: Ígor Rodin)Caixa com urso que foi mascote da Olimpíada de Moscou (Foto: Ígor Rodin)

Embora os artistas que criaram milhares de rótulos não tenham recebido crédito por seus trabalhos, ainda é possível descobrir suas identidades – e esse é um dos objetivos de Bogdan, que busca arquivos e catálogos criados por outros colecionadores.

Ilustração com nacionalidades da URSS (Foto: Ígor Rodin)Ilustração com nacionalidades da URSS (Foto: Ígor Rodin)

Como as caixas de fosforo são um artigo de coleção mais recentes, os preços geralmente não são altos. “As caixas de fósforo mais caras podem chegar a 10 mil rublos [530 reais]”, diz Bogdan. Quanto mais antigo, mais caro – esse é o caso, por exemplo, das caixas de fósforos que datam da virada do século 20.

Caixa de fósforo de Ano Novo (Foto: Ígor Rodin)Caixa de fósforo de Ano Novo (Foto: Ígor Rodin)

“E também é bem fácil comprar essas caixas on-line”, diz. Há uma comunidade de colecionadores de caixa de fósforo na Rússia, e Bogdan é um dos membros do conselho. “Mas o EBay e outras plataformas de venda populares não são as melhores fontes para encontrar caixas de fósforos muito raras”, conclui.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.