7 casos de literatura russa animada

The Night Before Christmas (1951 film)

The Night Before Christmas (1951 film)

Screenshot
São muitos os filmes baseados em obras da literatura russa. Tanto é que apenas “Anna Karenina” já foi adaptada cerca de 20 vezes. Confira agora a lista de animações raras inspiradas em livros e poemas clássicos.

Histórias assustadoras (“Vyi”, de Nikolai Gógol)

(Vídeo: YouTube/Soiuzmultfilm)

“Vyi”, de Gógol, já é assustador lendo – pois então imagine assistindo a ele. Ainda assim, esse conto sobre um padre que tem de realizar um funeral de uma jovem por três dias foi adaptado diversas vezes.

A cerimônia teria sido comum, se não fosse pelo fato de a menina morta acordar de repente, como uma bruxa, e chamar seus amigos diabólicos para uma convenção clandestina. Vyi é o nome do líder do grupo – e o mais assustador e feio de todos eles.

Uma história de Natal (“Noite de Natal”, de Nikolai Gógol)

(Vídeo: YouTube/tabelta)

Essa é outra história de Gógol, que, embora desta vez alegre, contém misticismo de sobra. Um dos personagens principais é um pequeno duende que chega a uma vila na véspera de Natal, rouba a Lua e aparecer para visitar uma mulher. De repente, no entanto, o filho da mulher retorna à casa perturbado pois a mulher que ele ama havia negado sua proposta de casamento. Ele captura o duende e o faz voar para São Petersburgo para pedir à imperatriz os sapatos que a mulher que ele ama tanto queria.

Um lindo conto de fadas (“O Conto do Tsar Saltan”, de Aleksandr Púchkin)

(Vídeo: YouTube/Soiuzmultfilm)

Animação é a melhor maneira de exibir um conto de fadas, então, é claro que existem vários desenhos baseados nas obras de Púchkin. Um dos melhores é “O Conto do Tsar Saltan”, que retrata uma rainha traída por suas irmãs invejosas e exilada em uma ilha mágica com seu filho, o príncipe Guidon. Lá ele encontra um cisne encantado que realiza os seus desejos e embarca em uma aventura repleta de situações inesperadas.

Trabalho filosófico (“O Sonho de um Homem Ridículo”, de Fiódor Dostoiévski)

(Vídeo: YouTube/woodgeor v -- Clique aqui para parte 2)

A sombria prosa de Dostoiévski costuma tentar muitos diretores a adaptar seu trabalho para as telonas ou para o palco. No ano passado, por exemplo, “Crime e Castigo” ganhou uma roupagem rock’n’roll em um musical em Londres.

Embora não seja comum associar o autor com animações, o diretor Aleksandr Petrov conseguiu transmitir bem as neuras e reflexões do ‘homem ridículo’ de Dostoiévski.

Curto, mas poderoso (“Doutor Jivago”, de Boris Pasternak)

(Vídeo: YouTube/Vintage Books)

Essa iniciativa partiu dos estudantes da Universidade de Kingston, que concorriam a um prêmio de animação. Os alunos transformaram romances clássicos russos em curtas-metragens, e o grande vencedor foi o criador de um trailer sangrento, com 40 segundos, para o famoso romance de Boris Pasternak “Doutor Jivago”.

A versão animada de “O Mestre e Margarita”, de Bulgákov, também foi premiada no evento.

Assassinato desolador (“Mumu”, de Ivan Turguêniev)

(Vídeo: YouTube/Soiuzmultfilm)

Antes de qualquer coisa, um aviso: essa animação foi feita para chorar. Conta a história de um camponês surdo e mudo chamado Guerássim, que chama seu cachorro de “Mumu” porque esses são os únicos sons que ele é capaz de produzir.

No entanto, a proprietária das terras onde trabalha e mora o obriga a matar o cachorro porque ele late demais e não a deixa dormir durante a noite. Guerássim afoga o cão no rio, amarrando tijolos ao redor do pescoço do animal.

Fantasia retrô (Ovos fatais, de Mikhail Bulgákov)

(Vídeo: YouTube/Мульт TV)

Bulgákov é famoso por sua rica imaginação, como demonstrado em seu mais famoso conto “O Mestre e Margarita”. Em “Ovos fatais”, porém, um professor realiza um experimento no qual consegue aumentar o tamanho de insetos. Com o tempo, eles atacam a cidade e as pessoas devem combatê-los.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.