‘O Reino Gelado 2’ chega aos cinemas nesta quinta

Animação russa é baseada na mesma obra que serviu de inspiração para ‘Frozen’

Animação russa é baseada na mesma obra que serviu de inspiração para ‘Frozen’

kinopoisk.ru
Bem recebido em casa e com apelo familiar, sequência de animação russa estreia nas telonas do Brasil nesta quinta-feira (12). Apesar de boas tiradas, críticos internacionais destacaram inconsistência do roteiro e personagens pouco expressivos.

A animação “O Reino Gelado 2” estreia nesta quinta-feira (12) nas salas de cinema 2D e 3D com a promessa de repetir o relativo sucesso obtido na Rússia. Uma das apostas da versão brasileira é a participação de Larissa Manoela, conhecida das crianças pelas novelas “Carrossel” e “Cúmplices de um Resgate”, e João Cortês, que dublam os personagens centrais, Gerda e Orm.

Com piadas mais adultas, a sequência do filme baseado no conto “A Rainha da Neve”, de Hans Christian Andersen, tem agora roteiro original e foi reclassificada na Rússia da categoria “infantil” para “familiar” – no Brasil, tem classificação livre.

“O protagonista dessa vez é o troll [espécie de criatura horrenda ou ogro] Orm, que ficou bem marcado na memória dos fãs da primeira parte”, diz o produtor do filme, Iúri Moskvin.

Após a destruição do reino de gelo, o ex-escudeiro da Rainha da Neve, Orm, tenta se adaptar à vida comum. Trabalha em uma mina para sustentar a casa em que vive com a avó. Mas ele não é grande fã de trabalho, além de ser um azarado nato. Quando uma ameaça paira sobre a cidade e sequestra a filha do rei, Orm vê a oportunidade de mudar de vida.

O troll começa então a contar vantagem, exagerar nas histórias que conta e até mente que derrotou a Rainha de Neve sozinho. Mas a mentira, aparentemente inocente, deixa o mundo em perigo. Para salvar a humanidade, Orm tem que enfrentar uma das batalhas mais difíceis – consigo mesmo.

Fonte: FilmIsNow Movie Trailers International

O desenrolar do filme o coloca no rol de outras animações de sucesso, como “Big Hero”, “Valente”, mas as imperfeições herdadas da primeira parte – defeitos de animação, personagens pouco convincentes e trama confusa – atrapalham, porém, a sua grande vantagem: o charme da visão romântica de mundo característica dos contos antigos.

A tarefa era apenas fazer um filme “divertido, visualmente rico e dinâmico”, garantem os criadores – e objetivo se cumpre.  As imagens marcantes do filme fizeram dele o primeiro longa-metragem de animação russo a entrar para a lista do prêmio Globo de Ouro.

De Voronej ao mundo

Lançado em 2012, o conto “A Rainha da Neve”, de Andersen, inspirou não só ‘O Reino Gelado’, mas também o norte-americano ‘Frozen: Uma Aventura Congelante’. Apesar da distribuição internacional do filme, alguns críticos estrangeiros atribuíram o seu sucesso ao lançamento quase que simultâneo com a produção da Disney.

“É uma animação crua com história confusa”, publicou o “Hollywood Reporter”, que também se referiu a imagens “mal feitas e personagens tão expressivos quanto matriochkas”.

A história de sucesso dos dois filmes não têm, porém, precedentes na Rússia. Ambos foram produzidos em Voronej, a mais de 500 km de Moscou, que até o aparecimento dos estúdios Wizart Animation sequer constava no mapa da animação. A empresa foi criada por um grupo de desenvolvedores de jogos de computador e da indúsria de TI sem experiência nas telonas.

O trailer de “O Reino Gelado’ (2013) surgiu na internet em 2010 e impressionou pela elevada qualidade para os padrões russos. No país, a edição e as imagens em 3D do filme arrancaram elogios de espectadores e críticos.

Assim como o público internacional, os russos criticaram as inconsistências no enredo, que talvez se expliquem pelo fato de o roteiro ter sido reescrito várias vezes, inclusive na fase final.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.