Mostra tem poucos e bons russos

Entre os títulos russos da mostra, está "Meu querido Hans" (2015), de Aleksandr Mindadze

Entre os títulos russos da mostra, está "Meu querido Hans" (2015), de Aleksandr Mindadze

kinopoisk.ru
Confira os títulos produzidos ou coproduzidos pelo país na 39° edição da Mostra de Cinema de São Paulo.

Com grande foco em países nórdicos e escandinavos, a 39° Mostra de Cinema de São Paulo traz poucos títulos russos neste ano.

Entre produções e coproduções envolvendo o país, o catálogo tem apenas cinco títulos: "A cor da romã" (Serguêi Parajanov, 1969), "Gaivotas" (Ella Manjeeva, 2015), "Meu querido Hans" (Aleksandr Mindadze, 2015), "Sob nuvens elétricas" (Aleksêi German, 2015) e "Tarkóvski, tempo dentro do tempo" (P.J. Letofsky, 2015).

A cor da romã (Serguêi Parajanov, 1969)

Fonte: mostrafilmes

Filme restrata a trajetória do poeta e trovador armênio Sayat Nova, revelada mais por sua poesia que por eventos importantes de sua vida, por meio de um imaginário lírico, poético e belamente construído, sem tramas ou diálogos. A sequência de abertura do filme, formada pelos escritos de Nova, ressoa por toda a obra: "Eu sou o homem cuja vida e alma são tortura”.

Meu querido Hans (Aleksandr Mindadze, 2015)

Fonte: Russian Trailers in HD

Em uma fábrica soviética, em meados de 1941, uma equipe da Alemanha trabalha em cooperação com especialistas russos. Hans, um engenheiro alemão, comete um erro que provoca a explosão de uma fornalha e a morte de algumas pessoas. Então, ele se vê dependendo de Piotr, um trabalhador soviético e única testemunha de sua atividade nas imediações do local do acidente. Piotr também depende de Hans, porque sua presença perto da fornalha pode acarretar uma acusação de ação subversiva e resultar em sentença de morte. A mútua desconfiança inicial se transforma em amizade.

"Tarkóvski, tempo dentro do tempo" (P.J. Letofsky, 2015)

Fonte: mostrafilmes

Construído a partir dos diários escritos entre 1970 e 1986 por Andrêi Tarkóvski (1932-1986), o documentário lança um olhar sobre a vida e a obra do cineasta russo. Com depoimentos da irmã do diretor, Marina Tarkóvski, da atriz Natália Bondartchuk, do roteirista Tonino Guerra etc.

Gaivotas (Ella Manjeeva, 2015)

Fonte: mostrafilmes

Elza, a mulher de um pescador, vive em uma cidade costeira na Calmíquia, no sul da Rússia. Ela quer deixar o marido, mas tem medo das incertezas. Até que ele morre inesperadamente. Elza, então, decide recomeçar e passa a questionar sua maneira de ver a vida, a felicidade e a liberdade.

Sob nuvens elétricas (Aleksêi German, 2015)

Fonte: Cine maldito

Na Rússia de 2017, o mundo pode estar à beira de uma grande guerra. Em torno de um edifício inacabado, um diverso grupo de “outsiders” luta para encontrar seu lugar em uma sociedade que muda rapidamente, tornando-se o mosaico de existência que é a própria vida.

Confira em nosso calendário cultural as datas e horários dos filmes russos na 39° Mostra de Cinema de SP. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.