Monte Kailash: obra da natureza ou pirâmide humana?

Relatos envolvendo monte Kailash vão desde desaparecimento de grupo a barulhos sobrenaturais vindos de seu interior

Relatos envolvendo monte Kailash vão desde desaparecimento de grupo a barulhos sobrenaturais vindos de seu interior

Ondřej Žváček/wikipedia
Ernst Muldachev, um oftalmologista russo baseado em Ufá, desenvolveu uma teoria excêntrica sobre o Kailash. Segundo ele, o monte sagrado no Tibete é, na verdade, uma pirâmide construída por ancestrais e ligada a outras edificações no Egito e no México.

Situado a 6.718 metros acima do nível do mar, o monte Kailash, no Tibete, é um local sagrado para hindus, budistas e jainistas.

Enquanto os hindus acreditam que Shiva, o deus “destruidor” do mal, está sentado em meditação perpétua sobre a montanha, os budistas tibetanos alegam que o monte é lar do Buddha Demchok, o representante da felicidade suprema. Nenhum ser humano, porém, jamais conseguiu escalar o Kailash.

Há diversas lendas envolvendo pessoas que morreram na tentativa de subi-lo, e as autoridades chinesas, cientes do caráter religioso do monte, proibiram oficialmente os alpinistas de se aventurar nele. Os russos, assim como os indianos, são fascinados por essa montanha há muito tempo.

O artista e espiritualista russo Nikolai Rerich, por exemplo, escreveu sobre o monte Kailash, e uma de suas pinturas mais famosas retrata o caminho para a montanha.

Rerich era um dos que acreditava na existência de um reino místico chamado Shambala nas proximidades do Monte Kailash. Algumas seitas hindus se referem a Shambala como Kapapa e acreditam que ali residem pessoas “perfeitas”.

Outros relatos sobre sobre escaladores russos do século 19 e início do século 20 sugerem que um grupo teria desaparecido tentando subir a montanha. Segundo um local, os alpinistas conseguiram escalar além de determinado ponto e teriam, repentinamente, envelhecido algumas décadas – e morrido de velhice um ano depois.

Em 1999 foi a vez do oftalmologista russo Ernst Muldachev fazer uma expedição ao Tibete para tentar descobrir os segredos do Kailash. Sua equipe, formada por especialistas em geologia, física e história, conheceu vários lamas tibetanos e passou vários meses ao pé da montanha sagrada.

Para Muldache, monte tem ligação com pirâmides espalhadas pelo mundo (Foto:: Mikhail Fomitchev/TASS)Para Muldache, monte tem ligação com pirâmides espalhadas pelo mundo (Foto:: Mikhail Fomitchev/TASS)

Teoria da pirâmide

O grupo que acompanhava Muldachev chegou à conclusão de que o monte Kailash é, de fato, uma enorme pirâmide artificial construída nos tempos antigos. Segundo ele, a montanha principal estaria cercada por muitas pirâmides menores e poderia ser o centro de todas as atividades paranormais.

“No silêncio da noite, ouvíamos várias vezes havia sons estranhos vindo do interior da montanha”, escreve Muldachev, em seu artigo acadêmico “Where Do We Come From?” (De onde viemos, em tradução livre). “Uma noite, meus colegas e eu ouvimos o barulho de uma pedra caindo que, sem dúvida, vinha do interior [do monte], disse, sugerindo que seres poderiam viver dentro da suposta pirâmide.

“Nos textos tibetanos está escrito que Shambala é um país espiritual localizado no noroeste do Kailash. (...) É difícil para mim discutir esse tema de um ponto de vista científico. Mas posso afirmar com segurança que o complexo de Kailash está diretamente relacionado com a vida na Terra; quando fizemos um mapa da ‘Cidade dos Deuses’, composto por pirâmides e espelhos de pedra, ficamos muito surpresos – o esquema era semelhante à estrutura espacial das moléculas de DNA.”

O indiano Mohan Bhatt, que se dedica ao estudo de sânscrito, diz que o Ramayana também se refere à montanha sagrada como uma pirâmide. Além disso, “os textos antigos dos vedas descrevem ao monte como um eixo cósmico”, acrescenta.

Muldachev acredita que as pirâmides tenham sido construídas por ancestrais evoluídos que que conheciam as leis da energia sutil. Em seus escritos, o médico afirma que a montanha é a parte mais importante de um sistema de antigas estruturas monumentais e está diretamente conectado com as principais pirâmides da Terra, como as de Gizé, no Egito, e de Teotihuacán, no centro do Médico.

No site “Onward to the Past” (Em direção ao passado, em tradução livre), que traz informações em russo e inglês, a teoria de Muldachev é explorada em detalhes. As autoridades chinesas, porém, descartam a teoria do russo.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.