Arquitetos estrangeiros modernizam centro de Moscou

Marco da capital, avenida Tverskaia tenta recuperar aspecto humanizado

Marco da capital, avenida Tverskaia tenta recuperar aspecto humanizado

Press photo
No século 15, projetistas italianos conceberam vários edifícios administrativos e religiosos importantes no Kremlin. Hoje, o coração da capital está sendo novamente transformado por estrangeiros – desta vez por escritórios da Holanda, Reino Unido e EUA.

Os projetos de arquitetura que serão desenvolvidos na capital russa nos próximos anos, dos quais muitos serão implementados por grupos estrangeiros, foram destaque na 6ª edição do Fórum Urbano de Moscou, que discutiu a evolução das megacidades, de 30 de junho a 3 de julho.

Reconstrução da famosa Tverskaia

O projeto de reconstrução da principal rua de Moscou foi desenvolvido pelo escritório holandês West 8 em cooperação com a consultoria russa Strelka. A proposta é restaurar a alameda de tílias que adornava a Tverskaia deste o final dos anos 1940 até a década de 1990.

“As árvores que aparecerão nas calçadas alargadas serão a decoração principal da rua em qualquer época e irão visivelmente humanizar a movimentada Tverskaia”, explica Adriaan Geuze, fundador da West 8 e um dos autores do projeto. “Agora, como a maioria das outras ruas daqui, está tomada por carros, mas deve ser dominada por pedestres.”

Para concretizar o projeto, os arquitetos ampliaram a largura da calçada, por meio da redução do número de faixas para os carros, e dividiram em duas zonas: uma para pedestres – de granito claro –, e outra “funcional” – de granito escuro, combinando com a cor as colunas dos edifícios. A área considerada ‘funcional’ é que receberá tílias, pontos de ônibus e postes de iluminação recriados a partir de desenhos dos arquivos de museus.

Foto: Press PhotoFoto: Press Photo

Os transeuntes serão remetidos à história da rua graças a um fragmento do pavimento de madeira dos séculos 14 a 17 encontrado na Tverskaia durante a escavação de camadas mais antigas do solo. As autoridades prometem preservar parte da estrutura de madeira, cobrindo-a com janelas de vidro. O processo de revitalização da rua deve ser concluído até o final de 2016.

Parque Zariadie

Este inovador parque-paisagem será inaugurado em setembro de 2017, durante as celebrações do 870º aniversário de Moscou, no local que antes abrigava o hotel Rossiya, nas cercanias do Kremlin. Com custo estimado pelas autoridades em US$ 420 milhões, trata-se mais caro e mais ambicioso projeto de melhoria da capital até o presente.

A decisão de criá-lo foi tomada ainda em 2012 por iniciativa do presidente russo, Vladímir Pútin. Um concurso internacional para definir o conceito do futuro parque foi realizado em Moscou em 2013. Resultando na vitória do consórcio internacional liderado pela empresa norte-americana Diller Scofidio + Renfro, responsável pelo Parque High Line, em Nova York.

 Foto: Press photo
 Foto: Press photo
 
1/2
 

Os arquitetos propuseram dividir a área do Zariadie em quatro tipos de vegetação característicos na Rússia – tundra, estepe, floresta e prado água –, com as respectivas floras, faunas e climas.

Haverá um espaço para shows, pavilhões temáticos, incluindo salas de exposição, bem como uma grande zona pedonal ligando a rua Varvarka à margem do rio Moscou. Ainda de acordo com o projeto, o futuro parque irá conectar todas as rotas de caminhada no centro da cidade, desde o Kremlin a Vorobióivi Góri (Colina das Andorinhas).

Parque científico do Sberbank em Skôlkovo

O Centro de Inovação Skôlkovo reivindica para si não só o título de ‘Vale do Silício russo’, mas também o status de um dos grandes centros de arquitetura moderna. Nada mais apropriado, portanto, que equipes internacionais de primeira linha fossem convidadas, no final de 2015, a participar de uma competição para o conceito arquitetônico do futuro Technopark Sberbank.

O projeto, enfim atribuído ao escritório Zaha Hadid Architects, pressupõe a construção de um edifício de vidro seguindo o contorno de 7,83 hectares.

 Foto: Press photo
 Foto: Press photo
 Foto: Press photo
 Foto: Press photo
 
1/4
 

“Queremos rever e melhorar a abordagem fundamentalmente modernista para a criação de espaços de trabalho, que até agora tem se desenvolvido de modo universal”, diz o gestor do projeto, Christos Passas, da Zaha Hadid Architects, ao explicar o conceito arquitetônico.

“Nós vemos novas oportunidades de transformação de componentes modulares com geometria simplificada, aumentando a circulação de luz e ar fresco no ambiente de trabalho”, completa.

Mais de 10.000 funcionários do Sberbank, o maior banco da Rússia, irão se mudar para o novo edifício após a conclusão das obras. Além de laboratórios, o espaço contará com salas de aula e um amplo departamento de P&D (pesquisa e desenvolvimento), espalhados por 130 mil metros quadrados. O projeto, que deve ser concluído até 2020, é avaliado em quase US$ 310 milhões.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.